O ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA EM LAZER EM TEMPOS PANDÊMICOS E O REPENSAR DE SUA PRÁTICA PEDAGÓGICA

Palavras-chave: Educação Física. Estágio Supervisionado em Educação Física. Lazer. Estágio Supervisionado em Educação Física e Lazer. Pandemia. Ensino Remoto Emergencial.

Resumo

O “Estágio Supervisionado em Educação Física e Lazer” sintetiza os conhecimentos tratados no campo do lazer. No isolamento social causado pela pandemia da covid-19, essa disciplina precisou ser repensada para adaptar-se às contingências do momento. O objetivo deste relato é apresentar a metodologia de trabalho desenvolvida remotamente, apontando dificuldades e pontos positivos. Trata-se de um trabalho exploratório-reflexivo, com fontes documentais e o acompanhamento de estudantes finalistas do bacharelado em Educação Física. Como resultado, foram categorizados os dados dos relatórios de estágio dos alunos e o diário de campo dos docentes, abordando os pontos de destaque e de melhoria da disciplina. Na categorização do material audiovisual elaborado, estabeleceram-se três categorias de análise: experiências no ensino-pesquisa-extensão no esporte e lazer; experiências formativas extramuros da universidade; e profissionais que vivem as experiências de esporte e lazer. A experiência foi exitosa, mas o estágio presencial é uma vivência fundamental na formação em Educação Física.

Biografia do Autor

Paula Cristina da Costa Silva, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).  Professora do Centro de Educação Física e Desportos da Universidade Federal do Espírito Santo (CEFD/UFES). 

Lara Júlia Rodrigues Marcelos, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Bacharela em Educação Física pela Universidade Federal do Espirito Santo (UFES).  

Jefferson Muniz Tonini, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Mestre em Gestão Pública pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Técnico-administrativo em educação na Pró-Reitoria de Extensão na Universidade Federal do Espírito Santo.

Ileana Wenetz, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Pós-doutora no Programa Interdisciplinar de Ciências Humanas da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Doutora em Ciências do Movimento Humano pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Professora Adjunta do Departamento Ginástica do Centro de Educação Física e Deportes da Universidade Federal de Espirito Santo (UFES). Professora da Pós-graduação em Psicologia Institucional (UFES).  

Referências

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2011.

BRACHTVOGEL, Caterine de Moura. Produções discursivas nas mídias digitais: construções educativas de mulheres esportistas. Tese (doutorado) – Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (Campus Ijuí). Educação nas Ciências. – Ijuí, 2021. 136 f.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.html. Acesso em: 26 fev. 2020.

CAMARGO, Luiz Octávio Lima. Educação para o lazer. São Paulo: Moderna, 1998.

CAPES - COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR. Portal de Periódicos. Disponível em: <https://www-periodicos-capes-gov-br.ezl.periodicos.capes.gov.br/. Acesso em: 23 mar. 2022.

CEFD – CENTRO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTOS. Projeto pedagógico do curso de Graduação Bacharelado em Educação Física. Vitória: Universidade Federal do Espírito Santo, 2016.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

DUMAZEDIER, Joffre. Valores e conteúdos culturais do lazer. São Paulo: SESC, 1980.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e tecnologias de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

MAGALHÃES, Rodrigo Cesar da Silva. Pandemia de covid-19, ensino remoto e a potencialização das desigualdades educacionais. História, Ciências, Saúde, Rio de Janeiro, v. 28, n. 4, p. 1263-1267, 2021. https://doi.org/10.1590/S0104-59702021005000012.

MARCELLINO, Nelson Carvalho. Estudos do lazer: uma introdução. Campinas: Autores Associados, 1996.

MÁXIMO, Maria Elisa. No desligar das câmeras: experiências de estudantes de ensino superior com o ensino remoto no contexto da covid-19. Civitas – Revista de Ciências Sociais, Porto Alegre, v. 21, n. 2, pp. 235-247, 2021. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2021.2.39973.

PESQUISA NACIONAL DE SAÚDE. Percepção do estado de saúde, estilos de vida, doenças crônicas e saúde bucal: Brasil e grandes regiões / IBGE, Coordenação de Trabalho e Rendimento. Rio de Janeiro: IBGE, 2020. 113p.

PIMENTA, S. G.; LIMA L.; SOCORRO, M. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2004.

PINTO, Leila Mirtes Santos de Magalhães. Lazer e educação: desafios da atualidade. In: MARCELLINO, Nelson Carvalho. Lazer e sociedade: múltiplas relações. Campinas: Alínea, 2008. p. 45-61.

PNUD. Relatório de Desenvolvimento Humano Nacional. Movimento é vida: atividades físicas e esportivas para todas as pessoas: 2017. Brasília: PNUD, 2017.392 p. Disponível em: https://www.br.undp.org/content/brazil/pt/home/library/idh/rdhs-brasil/relatorio-nacionaldesenvolvimento-humano-2017.html. Acesso em: 10 dez. 2021.

UFES – UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO. Conselho Universitário aprova atividades de ensino remoto e auxílios de inclusão digital. Vitória: UFES, 2020. Disponível em: https://ufes.br/conteudo/conselho-universitario-aprova-atividades-de-ensino-remoto-e-auxilios-de-inclusao-digital. Acesso em: 12 nov. 2021.

SCHWARTZ, Gisele Maria. O conteúdo virtual: contemporizando Dumazedier. Licere – Revista do Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Estudos do Lazer, Belo Horizonte, v. 2, n. 6, p. 23-31, 2003. https://doi.org/10.35699/1981-3171.2003.1468.

STIGGER, Marco Paulo. Lazer, cultura e educação: possíveis articulações. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Campinas, v. 30, n. 2, p. 57-72, jan. 2009.

Publicado
2022-04-08
Seção
O PAPEL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA FORMAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA