Foco e Escopo

A Revista Humanidades e Inovação, editada pela Universidade Estadual do Tocantins (Unitins) - tem por objetivo a difusão de estudos e pesquisas de professores e alunos de pós-graduação, pesquisadores e gestores de instituições de ensino superior e de pesquisa, gestores de associações científicas e profissionais, dirigentes e demais órgãos envolvidos na formação de pessoal e produção científica, relativos ao conhecimento científico das áreas de Ciências Humanas, Ciências Sociais Aplicadas e Linguística, Letras e Artes, com especial enfoque para a linguagem e processos educativos, comunicação, educação e tecnologia, sociologia e processos de inovação gerenciais, sociais e tecnológicos.

 

Políticas de Edição

Edição Temática

A edição temática é organizada por um ou mais pesquisadores especialistas no tema da chamada. Para essa seção, são aceitos artigos inéditos, pertinentes à temática proposta, a qual é divulgada na página da Revista e nas Redes Sociais, constando os nomes dos organizadores, o tema, a sinopse do número e o prazo para submissão dos originais. Podem submeter trabalhos, para esta seção, alunos e/ou professores vinculados a instituições de ensino superior e pesquisa nacionais ou internacionais, bem como profissionais autônomos.

 

Edição Livre

A edição livre funciona em fluxo contínuo, estando aberta para submissão de trabalhos inéditos: artigos, resenhas e relatos de experiência. Podem submeter trabalhos, para esta seção, alunos e/ou professores vinculados a instituições de ensino superior e pesquisa nacionais ou internacionais, bem como profissionais autônomos.

 

Processo de avaliação pelos pares

O processo de avaliação de trabalhos submetidos para publicação na Revista Humanidades & Inovação ocorre em duas instâncias. Na primeira, o trabalho é analisado pelos organizadores do número temático e pelos editores da Revista, que fazem uma avaliação preliminar da pertinência do conteúdo dos trabalhos em relação ao tema proposto e à política editorial da Revista, assim como da adequação da redação ao gênero proposto e das normas de publicação. Nessa etapa o trabalho pode ser rejeitado ou então ser encaminhado para avaliação por pares (pareceristas).

Na segunda instância, o trabalho, sem identificação de autoria, é submetido à avaliação de dois pareceristas, membros do Conselho Editorial ou pareceristas ad hoc. Somente são publicados os trabalhos aprovados pelos dois pareceristas, se as modificações solicitadas, quando houver, forem atendidas pelo autor. Havendo divergência entre os dois pareceres, um terceiro é solicitado.

Os originais são enviados ao avaliador sem identificação dos autores. No entanto, ao ler o manuscrito, pode acontecer que o avaliador reconheça a instituição ou os autores. Neste caso, é solicitado ao parecerista verificar se não há conflito de interesses e se é possível avaliar o artigo imparcialmente. As identidades dos avaliadores não são reveladas para os autores.