O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NOS CURSOS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA: SÍNTESE DE PROJETOS EM DISPUTA

Palavras-chave: Estágio Supervisionado. Formação de Professores. Educação Física.

Resumo

O presente trabalho apresenta a discussão sobre formação de professores de educação física e especificamente na área dos estágios supervisionados. Reconhecendo a necessidade de realizar análise crítica das normatizações atuais entre elas Base Nacional Comum Curricular; Reforma do Ensino Médio, resoluções para a formação de professores para a educação básica e para educação física, levantamos a problemática científica: O estágio supervisionado nos cursos de formação de professores em educação física poderá se apresentar na perspectiva da omnilateralidade, frente as mediações postas pela política educacional brasileira? Estamos levantando a hipótese de que a formação apresentada no quadro atual aprofunda a dicotomia entre teoria e prática, contribuindo para formação unilateral nos cursos de educação física e consequentemente nos estágios supervisionados. A partir do método materialista histórico-dialético, foi realizada a atualização do debate no campo da formação de professores de educação física, tendo a analise documental como balizadora do debate teórico. Defendemos a formação omnilateral subsidiada na consistente base teórica e no trabalho educativo a compreensão das práticas como componente curricular e dos estágios supervisionados como articuladores do conhecimento nos cursos de formação de professores de educação física.

Biografia do Autor

Melina Silva Alves, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Doutora em Educação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professora Adjunta da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). 

Raquel Cruz Freire Rodrigues, Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)

Doutora em Educação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professora Adjunta da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). 

Referências

ALVES, M. S. Divisão social do trabalho e alienação na formação de professores de educação física da UFS: o estágio supervisionado/prática de ensino enquanto síntese dialética dos projetos em disputa. 2010. 142 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Núcleo de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2010.

_____. Formação de professores e crise estrutural do capital: a necessidade histórica de uma formação para a transição de modo de produção e reprodução da vida. 2015. 350f. Tese (Doutorado em Educação) – Centro de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2015.

ALVES, M. S.; LAVOURA. T. N..; SANTOS JUNIOR, C. de L. Política de Formação de Professores e a destruição das forças produtivas: BNC-formação em debate. Revista Práxis Educacional, Vitória da Conquista/BA, v. 16, n. 37, p. 553-577, Edição Especial, 2020.

ANFOPE. Política de formação e valorização dos profissionais da educação: Resistências propositivas à BNC da formação inicial e continuada”. Documento Final do XX Encontro Nacional da Anfope, 2021.Disponibilidade em: http://www.anfope.org.br/wp-content/uploads/2021/04/20%E2%81%B0-ENANFOPE-%E2%80%93-Documento-Final-2021.pdf Acesso em: 30 nov. 2021

BRASIL. Resolução CNE/CP nº 7, de 31 de março de 2004. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Educação Física, em nível superior de graduaçãoplena. Câmara de Ensino Superior do Conselho Nacional de Educação, Brasília, 2004.

_____. Resolução CNE/CP nº 02, de 01 de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Brasília: MEC, 2015.

_____. Resolução CNE/CES nº 6, de 18 de dezembro de 2018. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Educação Física e dá outras providências. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Brasília: MEC, 2018.

_____. Resolução CNE/CP nº 02, de 20 de dezembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Brasília: MEC, 2019.

_____. Parecer: CNE/CP 10/2021. Alteração do prazo previsto no artigo 27 da Resolução CNE/CP nº 2, de 20 de dezembro de 2019, que define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Brasília: MEC, 2021.

BRZEZINSKI, I. Recuperando a História: 32 anos do movimento dos educadores e vinte anos de ANFOPE. In: BRZEZINSKI, I. (coord.). ANFOPE em Movimento 2008-2010. Brasília: Líber Livro; ANFOPE; CAPES, 2011.

CHEPTULIN, A. A Dialética Materialista: categorias e leis da dialética. São Paulo: Alfa-Omega, 1982.

COLETIVO DE AUTORES. Metodologia do Ensino de Educação Física. São Paulo: Cortez, 1992.

FIGUEIREDO, Z. C. C; ALVES, C. A.; ADRADE FILHO, N. de F. A instrumentalização do currículo na formação de professores de educação física no Brasil. Revista Anfope em Movimento, Rio de Janeiro/RJ, v. 03, n. 06, p. 520-541, 2020.

FNPE. Contra a descaracterização da formação dos professores – Nota em defesa da Resolução 02/2015. Nota do Fórum Popular de Educação. 11/10/2019. Disponibilidade em https://fnpe.com.br/contra-a-descaracterizacao-da-formacao-dos-professores-nota-em-defesa-da-resolucao-02-2015/. Acesso em: 25 nov. 2021.

FREITAS, H. C. L de. O trabalho como princípio articulador na prática de ensino e nos estágios. Campinas, SP: Papirus, 2007.

FRIGOTTO, G. A formação e a profissionalização do educador: novos desafios. In: GENTILI, Pablo (org.). Escola S. A. Brasília: CNTE, 1996.

_____. A relação do estrutural e do conjuntural na sociedade brasileira e os impasses e perspectivas da educação. Texto de subsídio para o XI Fórum Nacional de Educação com o XIV Seminário Regional de Educação Básica e O II Encontro Nacional do PIBIC. 2013. Disponibilidade em: http://nucleopiratininga.org.br/a-relacao-do-estrutural-e-do-conjuntural-na-sociedade-brasileira-e-os-impasses-e-perspectivas-da-educacao/. Acesso em: 29 nov.2021.

KOPNIN, P. V. A dialética como lógica e teoria do conhecimento. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

MARTINS. L. M. A personalidade do Professor. Disponibilidade em http://www.anped.org.br/33encontro/app/webroot/files/file/Minicursos%20em%20PDF/GT20.pdf. Acesso em: 20 de jul. 2013.

MARX, K. Grundrisse: manuscritos econômicos de 1857-1858: esboço da crítica da economia política. São Paulo: Boitempo; Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 2011.

MARX, K.; ENGELS, F. A Ideologia Alemã. São Paulo: Boitempo, 2006.

MORSCHABACHER, M.; ALVES, M. S.; RODRIGUES, R. C. F. Análise da produção científica sobre formação de professores: realidade e possibilidades na área da educação física. Revista Anfope em Movimento, Rio de Janeiro/RJ, v. 02, n. 04, p. 497-519, 2020.

RODRIGUES, R. C. F. O Estágio Supervisionado no curso de Educação Física da UEFS: realidade e possibilidades. 2007. 103f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2007.

_____. Formação de professores: a prática de ensino no Curso de Licenciatura em Educação Física com base na concepção de formação omnilateral e da licenciatura ampliada. 2014. 173f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2014.

SANTOS JÚNIOR, C. de L. A formação de professores em educação física: a mediação dos parâmetros teórico-metodológicos. 2005. 194f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2005.

SAVIANI, D. Pedagogia Histórico-Critica: primeiras aproximações. 3. ed. São Paulo: Cortez, 1992.

_____. Escola e Democracia. 42. ed. Campinas: Autores Associados, 2012.

SBPC. Entidades se manifestam contra manobra sorrateira do Ministério da Economia que retira recursos do CNPq. Nota contra a manobra do Ministério da Economia que retira recursos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Disponibilidade em: http://portal.sbpcnet.org.br/noticias/entidades-se-manifestam-contra-manobra-sorrateira-do-ministerio-da-economia-que-retira-recursos-do-cnpq/. Acesso em: 29 nov. 2021.

TAFFAREL, Celi N. Z. A formação do profissional de Educação Física: O processo de trabalho pedagógico e o trato com o conhecimento no Curso de Licenciatura da UNICAMP. 1993. 301f. Tese (doutorado em Educação). Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1993.

_____. As teses de abril de 2011 sobre educação, consciência de classe e estratégia revolucionária. Perspectiva, Florianópolis, v. 31, n. 1, p. 137-166, jan./dez. 2013.

Publicado
2022-04-08
Seção
O PAPEL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA FORMAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA