HERANÇA E DESEQUILÍBRIO DE LIGAÇÃO EM LOCOS ISOENZIMÁTICOS DE Peltophorum dubium

  • Edson Seizo Mori Universidade Estadual Paulista Faculdade de Agronomia Departamento de Produção e Melhoramento Animal
  • Alexandre Magno Sabbenn Instituto Florestal de São Paulo.
  • José Fernando de Sousa Lima Universidade do Tocantins Complexo de Ciências Agrárias
  • Raymond Paul Guries Depatment of Forest Ecology and Management of University of Wisconsin-Madison-WI, USA.

Abstract

Estudos foram realizados sobre a herança e o desequilíbrio de ligação em locos isoenzimáticos de Peltophorum dubium (Spreng.) Taub., vulgarmente conhecida como canafístula ou angico-amarelo, uma espécie arbórea de ampla distribuição nas florestas tropicais e subtropicais da América do Sul. Pouco se conhece sobre a diversidade genética e sistema de reprodução da espécie, aspectos estes fundamentais para a conservação genética, bem como para o seu melhoramento genético. A herança e a ligação de seis isoenzimas codificando nove locos são reportadas em P. dubium usando progênies de polinização aberta de árvores maternas heterozigotas. Em geral, a razão de segregação conformou com a esperada em caracteres sob controle de herança mendeliana. Desvio da razão de segregação 1:1 foi observado apenas para o loco Pgm-2. A ligação entre pares de locos foi inferida usando a medida composta de desequilíbrio de ligação de Borrows. Desvios de desequilíbrio de ligação foram observados entre sete pares de locos (α-Est-2:Ugpp-2, α-Est-3:α-Est-4, α-Est-3:Ugpp-2, 6pgdh-2:Aco-1, 6pgdh-2:Pgm-1, Aco-1:Pgm-1 e Pgm-1:Pgm-2), dois dos quais estavam ligados (α-Est-3:α-Est-4, 6pgdh-2:Pgm-1). A herança mendeliana simples foi confirmada para a maioria dos locos avaliados. Contudo, alguns pares desses locos parecem não estar segregando de forma independente, de forma que alguns devem ser excluídos de análises genéticas que requeiram a pressuposição de equilíbrio de ligação.

Author Biographies

Edson Seizo Mori, Universidade Estadual Paulista Faculdade de Agronomia Departamento de Produção e Melhoramento Animal
Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade de São Paulo (1979), mestrado em Engenharia Florestal pela Universidade de São Paulo (1987), doutorado em Agronomia (Genética e Melhoramento de Plantas) pela Universidade de São Paulo (1993), pós-doutorado pela University of Wisconsin-Madison (1999); livre-docência (2000); Professor Titular (2010) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho; pós-doutorado pela Universidade Técnica de Lisboa (2013) e pós-doutorado pela Universidade de Santiago de Compostela-Lugo (2014). Atualmente é professor titular no Departamento de Produção e Melhoramento Vegetal, da Faculdade de Ciências Agronômicas, da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, em Botucatu - SP. Tem experiência na área de Conservação de Recursos Genéticos e Melhoramento de Espécies Florestais, atuando principalmente nos seguintes temas: programas de melhoramento de eucaliptos e pinus, marcadores moleculares, produção de sementes de qualidade de espécies nativas e conservação de germoplasma de espécies perenes.
Alexandre Magno Sabbenn, Instituto Florestal de São Paulo.
Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Santa Maria (1992), mestrado em Ciência e Tecnologia de Madeiras (1997 - Departamento de Ciências Florestais/ESALQ/USP), doutorado em Genética e Melhoramento de Plantas (2001 - Departamento de Genética/ESALQ/USP) e pós-doutorado em Genética Florestal (2007) pelo Institut für Forestgenetik und Forstpflanzenzüchtung, Grosshansdorf, Alemanha.
José Fernando de Sousa Lima, Universidade do Tocantins Complexo de Ciências Agrárias
Possui graduação em Biologia e Mestrado em Genética pela Universidade Federal da Paraíba, Campus de João Pessoa. Doutorado em Ciências Biológicas pela UNESP, Campus de Rio Claro. Estar como professor pesquisador da UNITINS e ministra aulas para o Curso de Engenharia Agronômica desta IES.
Raymond Paul Guries, Depatment of Forest Ecology and Management of University of Wisconsin-Madison-WI, USA.
Possui graduação em Forestry pela University of Massachusetts at Amherst (1971) e doutorado em Forest Genetics pela University of Washington (1975) . Atualmente é professor titular da University of Wisconsin - Madison. Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal , com ênfase em Silvicultura. Atuando principalmente nos seguintes temas: forestry, genetic.

References

Adams, W.T.; Joly, R.J. (1980). Genetics of allozymes variants in Loblolly Pine. The Journal of Heredity 71: 33-40.

Allard, R.W. (1971). Princípios do melhoramento genético das plantas. São Paulo: Editora Edgard Blucher LTDA. 381p.

Borém, A.; Caixeta, E.T. (2006). Marcadores Moleculares. Viçosa: Universidade Federal de Viçosa. 374p.

Botrel, M.C.G.; Souza, A.M., Carvalho, D.; Pinto, S.I.C.; Moura, M.C.O.; Estopa, R.A. (2006). Caracterização genética de Calophyllum brasiliense Camb. em duas populações de mata ciliar. Revista Árvore 30(5):821-827.

Brown, A.H.D.; Allard, R.W. (1970). Estimation of mating system in open-pollinated maize populations using isozymes polymorphisms. Genetics 66(1): 133-145.

Carvalho, P.E.R. (1994). Espécies Florestais Brasileiras: Recomendações Silviculturais, Potencialidades e Uso de Madeira. Brasília: EMBRAPA-CNPF. 640p.

Cheliak, W.M.; Pitel, J.A. (1985). Inheritance and linkage of allozymes in Larix laricina. Silvae Genetica 34: 142-148.

Clayton, J.W.; Tretiak, D.N. (1972). Amine-citrate buffers for pH control in starch gel electrophoresis. Journal of the Fisheries Research Board of Canada 29(8): 1169-1172. http://dx.doi: 10.1139/f72-172

El-Kassaby, Y.A.; Yeh, F.C.; Sziklai, O. (1982). Inheritance of allozyme variants in Coastal Douglas-Fir (Pseudotsuga menziesii var. menziesii). Canadian Journal of Genetics and Cytology 24(3): 325-335. http://dx.doi:10.1139/g82-034

Fallour, D.; Fady, B.; Lefèvre, F. (2001). Evidence of variation in segregation patterns within a Cedrus population. Journal of Heredity 92(3): 260-266.

FAO - Food and Agriculture Organization of the United Nations. (1996). Panel of experts on forest gene resources. Roma: FAO. 64p.

Feres, J.M.; Sebbenn, A.M.; Guidugli, M.C.; Mestriner, M.A.; Moraes, M.L.T.; Alzate-Marin, A.L. (2012). Mating system parameters at hierarchical levels of fruits, individuals and populations in the Brazilian insect-pollinated tropical tree, Tabebuia roseo-alba (Bignoniaceae). Conservation Genetics 13(2): 393-405. http://dx.doi:10.1007/s10592-011-0292-z

Furnier, G.R.; Knowles, P.; Aleksiuk, M.A.; Dancik, B.P. (1986). Inheritance and linkage of allozymes in seed tissues of whitewbark pine. Canadian Journal of Genetics and Cytology 28(4): 601-604. http://dx.doi:10.1139/g86-088

Gillet, E.; Hattemer, H.H. (1989). Genetic analysis of isoenzyme phenotypes using single tree progenies. Heredity 63: 135-141. http://dx.doi:10.1038/hdy.1989.84

Gois, I.B.; Silva-Mann, R.; Ferreira, R.A. (2009). Variabilidade genética em Spondias lutea L. em uma população do baixo São Francisco sergipano por meio de isoenzimas. Scientia Forestalis 37(81): 55-60.

Konnert, M.; Ruetz, W.; Fromm, M. (2001) Genetic variation in Acer pseudoplatanus L. inheritance of isozymes variants. Forest Genetics 8(1): 25-37.

Lewandowski, A. (2000). Inheritance and linkage of some allozymes in Pinus armandii Franch. Silvae Genetica 49(2): 79-82.

Martins, C.C.; Bovi, M.L.A.; Mori, E.S.; Nakagawa, J. (2007) Isoenzimas na diferenciação de sementes de três espécies do gênero Euterpe. Revista Árvore 31(1): 51-57. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622007000100007

Morgante, M.; Vendramin, G.G.; Giannini, R. (1993). Inheritance and linkage relationships of isozyme variants of Pinus leucodermis Ant. Silvae Genetica 42: 231-236.

Mori, E.S.; Sebbenn, A.M.; Tambarussi, E.V.; Guries, R.P. (2013). Sistema de reprodução em populações naturais de Peltophorum dubium. Scientia Forestalis 41(99): 307-317.

Perry, D.J.; Knowles, P. (1989). Inheritance and linkage relationships of allozymes of eastern white cedar (Thuja occidentalis) in northwestern Ontario. Genome 32(2): 245-250. http://dx.doi:10.1139/g89-435

Ribas, L.A.; Sebbenn, A.M.; Kageyama, P.Y. (2004). Herança e desequilíbrio gamético em sete locos isoenzimáticos de Cecropia pachystachya Trec. Revista do Instituto Florestal 16(1): 21-40.

Roberds, J.H.; Brotschol, J.V. (1985). Linkage disequilibrium among allozyme loci in natural populations of Liriodendron tulipifera L. Silvae Genetica 34: 137-141.

Ritland, K. (1997). Multilocus mating system program MLTR. Version 1.1. Toronto: University of Toronto. Disponível em Acesso em 16 dez. 2016.

Sebbenn, A.M.; Carvalho, A.C.; Freitas, M.L.; Moraes, S.M.; Gaino, A.P.; Silva, J.M.; Jolivet, C.; Moraes, M.L. (2011). Low levels of realized seed

and pollen gene flow and strong spatial genetic structure in a small, isolated and fragmented population of the tropical tree Copaifera langsdorffii Desf. Heredity 106(1): 134-145. http://dx.doi:10.1038/hdy.2010.33.

Soltis, D.E.; Haufler, C.H.; Darrow, D.C.; Gastony, G.J. (1983). Starch gel electrophoresis of ferns: A compilation of grinding buffers, gel and electrode buffers, and staining schedules. American Fern Journal 73(1): 9-27. http://dx.doi:10.2307/1546611

Sousa, V.A.; Hattemer, H.H.; Robinson, I.P. (2002). Inheritance and linkage relationships of isozyme variants of Araucaria angustifolia (Bert.) O. Ktze. Silvae Genetica 51(5/6): 191-196.

Strauss, S.H.; Conkle, M.T. (1986). Segregation, linkage, and diversity of allozymes in knobcone pine. Theoretical and Applied Genetics 72(4): 483-493.

Stuber, C.W.; Wendel, J.F.; Goodman, M.N.; Smith, J.S.C. (1988). Techniques and scoting procedures for starch gel electrophoresis of enzymes from maize (Zea mays L.). Raleight, North Carolina: North Carolina Agricultural Research Service. 87p.

Weir, B.S.; Cockerham, C.C. (1979). Estimation of linkage disequilibrium in randomly mating populations. Heredity 42: 105-111. http://dx.doi:10.1038/hdy.1979.10

Weir, B.S. (1979). Inferences about linkage disequilibrium. Biometrics 35(1): 235-254. http://dx.doi:10.2307/2529947

Yamada, M.M.; Guries, R.P. (1989). A manual for starch gel electrophoresis – New chocolate lovers edition. Staff Paper Series no 39. Madison: University of Wisconsin. 22p.

Yeh, F.C.; Yang, R.C.; Boyle, T. (1999) Microsoft Windows-based Freeware for Population Genetic Analysis. Popgene, version 1.32. Disponível em <http://www.marksgeneticsoftware.net/ tfpga.htm> Acesso em 14 out. 2016.

Ying, L.; Morgenstern, E.K. (1990). Inheritance and linkage relationships of some isozymes of Larix laricina in New Brunswick, Canada. Silvae Genetica 39(5/6): 245-251.

Zhelev, P.; Gömöry, D.; Paule, L. (2002). Inheritance and linkage of allozymes in a Balkan endemic, Pinus peuce Griseb. The Journal of Heredity 93(1): 60-63.

Published
2016-12-20
How to Cite
Mori, E. S., Sabbenn, A. M., Lima, J. F. de S., & Guries, R. P. (2016). HERANÇA E DESEQUILÍBRIO DE LIGAÇÃO EM LOCOS ISOENZIMÁTICOS DE Peltophorum dubium. AGRI-ENVIRONMENTAL SCIENCES, 2(1), 25-36. Retrieved from https://revista.unitins.br/index.php/agri-environmental-sciences/article/view/191
Section
Artigo científico