POLÍTICAS PÚBLICAS DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA: IMPACTOS NO ENSINO FUNDAMENTAL I DE UM MUNICÍPIO DO TRIÂNGULO MINEIRO

Palavras-chave: Políticas Públicas. Formação continuada. Educação Básica. Ensino Fundamental I.

Resumo

Objetivou-se entender como as políticas públicas de formação continuada de professores da Educação Básica, no Brasil, influenciaram e/ou influenciam as políticas de formação da rede pública de um município do Triângulo Mineiro, bem como seus avanços, limites e possibilidades, especificamente no Ensino Fundamental I, no período de 2014 a 2019. A investigação é de natureza qualitativa, orientada pela matriz epistemológica dialética que possibilita o conhecimento da realidade concreta nas suas inter-relações. Nos delineamentos para a investigação, utilizou-se as modalidades: pesquisa bibliográfica, pesquisa documental e pesquisa de campo. Na pesquisa empírica recorreu-se a questionários online como instrumentos para a coleta de dados, aplicados a dez professores efetivos, atuantes no Ensino Fundamental I da rede municipal e a oito diretores dessas instituições. Evidenciou-se que as políticas nacionais influenciaram a construção das políticas municipais de formação continuada de professores, tanto nas suas conquistas positivas, quanto nas suas mazelas. 

Biografia do Autor

Adrinelly Lemes Nogueira, Programa de Pós-Graduação em Educação/ Universidade Federal de Uberlândia

Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Uberlândia/Faculdade de Ciências Integradas do Pontal (UFU/FACIP), onde atuou como bolsista no Subprojeto Gestão do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID/UFU). Pós-graduada em Psicopedagogia Clínica e Institucional e Educação Infantil pela Faculdade Venda Nova do Imigrante (FAVENI). Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação, na Linha de Pesquisa: Políticas Educacionais, Gestão e Formação de Professores oferecido pela Universidade Federal de Jataí (PPGE/UFJ). Doutora em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação, da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Uberlândia , na Linha de Pesquisa: Estado, Políticas e Gestão da Educação. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Política, Formação Docente e Práticas Educativas (GEPPOPE) e do Laboratório de Políticas e Gestão da Educação (LAPGE) da Universidade Federal de Uberlândia. Professora efetiva da Rede Municipal de Educação de Uberaba-MG desde 2016.

Maria C´élia Borges, Programa de Pós-Graduação em Educação, da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Uberlândia

Graduação em Pedagogia na Faculdades Integradas de Uberaba. Especialização (lato sensu) em Metodologia do Ensino Superior, Psicopedagogia e Fundamentos da Educação. Mestrado em Educação pela UFU. Doutorado pela PUCSP no Programa de Educação/Currículo. Pós-doutorado em Educação pela FEUSP, no programa do Dpto. Filosofia da Educação e Ciências da Educação. Atualmente é Professora ASSOCIADA na Universidade Federal de Uberlândia, FACED, em Uberlândia-MG. Foi professora adjunto da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) em Uberaba-MG, por mais de 5 anos. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Políticas de Formação de professores,Ensino Superior e Didática. Pesquisa e publica sobre os seguintes temas: Formação de Professores, Políticas Educacionais, Gestão Democrática; Educação Superior; Qualidade de Ensino e Inclusão Educacional e Social. Leciona nos cursos de graduação, pós-graduação e extensão. Foi coordenadora Institucional do PIBID/UFTM de 2009 a 2013. Coordenação Pibid Gestão UFU/Pontal de 2016 a 2018. Participa em congressos com apresentação de trabalhos em várias regiões do País. Desenvolve pesquisa com projetos aprovados e financiados pela FAPEMIG e CNPQ. Docente Permanente no Programa de Pós graduação Mestrado em Educação da Universidade de Uberlândia (UFU) linha Estado, Políticas e Gestão em Educação. Atuou como Docente permanente e colaboradora no Programa de Pós-Graduação em Educação (Mestrado em Educação) na Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM),Linha Formação de professores e cultura digital, entre 2013 a 2018. Integante do GPEFORM / Grupo de Pesquisas e Estudos sobre Formação de Professores e GEPPOPE / Grupo de Estudos e Pesquisas em Política, Formação Docente e Práticas Educativas.

Referências

ALAMINI, Nesio. Parceria entre a escola e a universidade: um possível caminho para a formação continuada de professores em serviço. In: SEMINÁRIO NACIONAL: ESTADO E POLÍTICAS SOCIAIS NO BRASIL, 2., 2005, Cascavel. Anais [...] Cascavel: Edunioeste, 2005. v. 01. p. 1-11. Disponível em: http://cacphp.unioeste.br/projetos/gpps/midia/seminario2/ficha_cat.htm. Acesso em: 23 abr. 2020.

BRASIL. Portaria nº 826, de 7 de julho de 2017. Dispõe sobre o Pacto Nacional pela alfabetização na Idade Certa (PNAIC) e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 2017a. Disponível em: http://www.lex.com.br/legis_27464570_PORTARIA_N_826_DE_7_DE_JULHO_DE_2017.aspx. Acesso em: 01 fev. 2019.

BRASIL. Portaria nº 142, de 22 de fevereiro de 2018. Institui o programa Mais Alfabetização. Brasília, DF: Presidência da República, 2018b. Disponível em: https://www.lex.com.br/legis_27617156_PORTARIA_N_142_DE_22_DE_FEVEREIRO_DE_2018.aspx. Acesso em: 01 fev. 2019.

BRASIL. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Formação de Professores da Educação Básica. Brasília, DF: CAPES, 2019a. Disponível em: http://www.capes.gov.br/educacao-basica. Acesso em: 01 nov. 2020.

BRASIL. Resolução CNE/CP nº 2, de 20 de dezembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). Brasília, DF: Ministério da Educação, 2019b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=135951-rcp002-19&category_slug=dezembro-2019-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 12 maio 2020.

BRASIL. CNE/CP nº Parecer 14/2020. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Continuada de Professores da Educação Básica e Base Nacional Comum para a Formação Continuada de Professores da Educação Básica (BNC-Formação Continuada). Portaria nº 882, de 23 de outubro de 2020 - DOU 26/10/2020, Edição 205, Seção 1, Página 57. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-882-de-23-de-outubro-de-2020-284736247. Acesso em: 05 dez. 2020.

BLASZKO, Caroline; SILVA, Claudia Sebastiana Rosa da.; SILVA, Juarez Francisco da. Formação continuada e desenvolvimento profissional: interpretação das vozes dos professores atuantes no ensino fundamental. Linha mestra, n. 36, p.234-238, set./ dez. 2018. Disponível em: http://lm.alb.org.br/index.php/lm/article/view/104/0. Acesso em: 24 fev. 2020

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. Tradução Mariana Echalar. São Paulo: Editora Boitempo, 2016.

DECKER, Aline Inácio. A formação docente no projeto político do Banco Mundial (2000-2014). Dissertação (Mestrado em Educação) Programa de Pós-Graduação em Educação, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Florianópolis, SC, 2015. 234 p. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/169522. Acesso em: 21 jan. 2019.

HYPOLITO, Álvaro Luiz M. Trabalho docente e o novo plano nacional de educação: valorização, formação e condições de trabalho. Caderno Cedes, Campinas, v. 35, n. 97, p. 517-534, set./dez., 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ccedes/v35n97/1678-7110-ccedes-35-97-00517.pdf. Acesso em: 14 out. 2017.

KONDER, Leandro. O que é dialética. São Paulo: Brasiliense, 2008. (Coleção Primeiros Passos: 23). Disponível em: http://afoiceeomartelo.com.br/posfsa/Autores/Konder,%20Leandro/O%20que%20e%20dialetica.pdf. Acesso em: 14 fev. 2019.

KOSIK, Karel. Dialética do concreto. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 1976.

LEITE, Vania Finholdt Angelo. Garantir o direito à educação sob a lógica performática: um estudo na Escola de Leitores. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 13, n. 39, p. 673-689, maio/ago. 2013. Disponível em: http://www.redalyc.org/pdf/1891/189128924012.pdf. Acesso em: 10 maio 2017. DOI:

LIBÂNEO, José Carlos. Políticas educacionais no Brasil: desfiguramento da escola e do conhecimento escolar. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v.46, n.159, p.38-62 jan./mar. 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/v46n159/1980-5314-cp-46-159-00038.pdf. Acesso em: 09 dez. 2018. DOI:

MAGALHÃES, Solange Martins Oliveira. Formação continuada de professores: uma análise epistemológica das concepções postas no Plano Nacional da Educação (PNE 2014-2024) e na Base Nacional Comum Curricular (BNCC 2015). Revista Linhas, Florianópolis, v. 20, n. 43, p. 184-204, maio/ago. 2019. Disponível em: http://www.revistas.udesc.br/index.php/linhas/article/view/1984723820432019184. Acesso em: 19 jan. 2020.

MINAYO, M. C. S. (org). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 32. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

PICCININI, Claúdia Lino; TONÁCIO, Glória de Melo. Valorização dos professores no plano nacional de educação (2014-2024): muito a ser feito pela valorização dos (as) profissionais de educação. In: EVANGELISTA, Olinda; SEKI, Allan Kenji. Formação de professores no Brasil: leituras a contrapelo. 1. ed. Araraquara: Junqueira &Marin, 2017. 280 p. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Allan_Kenji/publication/320805367_FORMACAO_DE. Acesso em: 28 jan. 2019.

PIMENTA, Selma Garrido. Formação de professores: identidade e saberes da docência. In: PIMENTA, Selma Garrido (org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. 8.ed. são Paulo: Cortez, 2005/2012.

SANTOS, Hellen Thaís dos et al. A formação continuada do docente no ensino fundamental. Colloquium Humanarum, Presidente Prudente, v. 8, n. 1, p. 47-52, jan/jun 2011. Disponível em: https://www.ingentaconnect.com/content/doaj/16796470/2011/00000008/00000001/art00008;jsessionid=f9pfos80gj532.x-ic-live-02. Acesso em: 15 jan. 2020. DOI: 10.5747/ch.2011.v08.n01.h100

MUNICÍPIO (MG). Lei Complementar Nº 133 de 25 de novembro de 1998. Dispõe sobre o Plano de Carreira e Remuneração do Magistério Municipal: Município: Prefeitura, 1998. Disponível em: http://www.uberaba.mg.gov.br/portal/acervo/administracao/arquivos/LC_133.pdf. Acesso em: 10 mar. 2019.

MUNICÍPIO (MG). Secretaria Municipal da Educação e Cultura. Plano de gestão da educação municipal: 2013 – 2016. Prefeitura, 2013.

MUNICÍPIO (MG). Prefeitura Municipal. Secretaria Municipal da Educação e Cultura Conselho Municipal de Educação. Plano Decenal Municipal de Educação: 2015-2024. Município: Prefeitura, 2015a. Disponível em: http://www.uberaba.mg.gov.br/portal/acervo/educacao/imagens/PDME/PMDE%202015-2024%20-%20VERSAO%20FINAL_29_05_15.pdf. Acesso em: 17 mar. 2019.

MUNICÍPIO (MG). Lei Complementar Nº 501, de 09 de setembro de 2015. Dispõe sobre o Plano de Carreira, Cargos e Salários dos Profissionais do Magistério da Educação Básica da Rede Municipal de Ensino, Estado de Minas Gerais, e dá outras providências Município: Prefeitura, 2015b. Disponível em: https://leismunicipais.com.br/a/mg/u/uberaba/lei-complementar/2015/50/501/lei-complementar-n-501-2015-dispoe-sobre-o-plano-de-carreira-cargos-e-salarios-dos-profissionais-do-magisterio-da-educacao-basica-da-rede-municipal-de-ensino-de-uberaba-estado-de-minas-gerais-e-da-outras-providencias. Acesso em: 10 mar. 2019.

MUNICÍPIO (MG). Decreto Nº 5.467, de 09 de março de 2016. Dispõe sobre a concessão de Licença Remunerada para o Aperfeiçoamento Profissional do Servidor integrante da Carreira do Magistério da Educação Básica da Rede Municipal de Ensino, por meio do Programa de Formação Profissional do Magistério Municipal – PFPM. Município: Prefeitura, 2016. Disponível em: http://www.uberaba.mg.gov.br/portal/acervo//educacao/arquivos/LEX/LEX%20INFORMATIVO%20MUNICIPAL%20%203.pdf. Acesso em: 16 abr. 2020.

MUNICÍPIO (MG). Lei Complementar Nº 552 de 15 de setembro de 2017. Altera a Lei Complementar nº 501/2015, que dispõe sobre o Plano de Carreira, Cargos e Salários dos Profissionais do Magistério da Educação Básica da Rede Municipal de Ensino, Estado de Minas Gerais" e dá outras providências. Município: Prefeitura, 2017. Disponível em: http://www.uberaba.mg.gov.br:8080/portal/acervo/portavoz/arquivos/2017/1551%20-%2006-10-2017.pdf. Acesso em: 11 mar. 2019.

MUNICÍPIO (MG). Portaria Nº 0019, 14 de março de 2018. Estabelece normas para o cumprimento das atividades referentes à jornada extraclasse do Professor da Educação Básica (PEB), do Educador Infantil e do Coordenador Pedagógico da Rede Municipal de Ensino. – Porta Voz Ano 22 Nº 1591. Município: Prefeitura, 2018a. Disponível em: http://www.uberaba.mg.gov.br:8080/portal/acervo/portavoz/arquivos/2018/1591%20-%2014-03-2018.pdf. Acesso em: 14 mar. 2019.

MUNICÍPIO (MG). Decreto Nº 5.178, de 14 de fevereiro de 2020. Dispõe sobre a concessão de licença remunerada ao profissional da carreira do magistério da rede municipal de ensino. Município: Prefeitura, 2020. Disponível em: https://leismunicipais.com.br/a/mg/u/uberaba/decreto/2020/518/5178/decreto-n-5178-2020-dispoe-sobre-a-concessao-de-licenca-remunerada-ao-profissional-da-carreira-do-magisterio-da-rede-municipal-de-ensino-de-uberaba?q=decreto%205.178. Acesso em: 16 abr. 2020.

VOLSI, Maria Eunice França. Políticas Para Formação de Professores da Educação Básica em Nível Superior: em discussão as novas Diretrizes Nacionais para a Formação dos Profissionais do Magistério. In: SEMINÁRIO NACIONAL UNIVERSITAS/BR, 24., 2016, Maringá. Anais [...]. Maringá: Universidade Estadual de Maringá, 2016. Disponível em: http://www.ppe.uem.br/xxivuniversitas/anais/trabalhos/e_6/6-015.pdf. Acesso em: 29 jan. 2018.
Publicado
2021-07-22