PARA ALÉM DE UMA VISÃO DOMINANTE SOBRE AS CRIANÇAS PEQUENAS: GRAMÁTICAS CRÍTICAS NA EDUCAÇÃO DE INFÂNCIA

Catarina Tomás

Resumo


Procura-se, neste artigo, fazer um questionamento sociopolítico e educativo do trabalho que se faz em creche, a partir dos direitos da criança. De modo a balizar a análise, com base numa matriz interdisciplinar, procuro numa primeira parte refletir acerca das narrativas hegemónicas sobre a educação de infância com especial enfoque na creche; segue-se a identificação de três tensões na relação entre os direitos da criança e a educação de infância: (des)conhecimento ou os sentidos múltiplos atribuídos aos direitos da criança pelos/as profissionais de educação; a armadilha do discurso entre direitos e deveres; a identificação de práticas sociopedagógicas tendencialmente reprodutoras da forma escolar. Por último, procuro mapear os principais eixos de uma conceção crítica de educação de infância.


Texto completo:

PDF

Referências


ARCE, Matías Cordero. Hacia un discurso emancipador de los derechos de las niñas y niños. Lima: Infejant, 2015.

BROUGÈRE, Gilles. Jogo e educação. Porto Alegre: Editora Artes Médicas, 2003.

BURNAM, Erica. Desenvolvimento desejado? Contribuições psicanalíticas para o antidesenvolvimento psicológico. A Peste. Revista de Psicanálise e Sociedade e Filosofia, v.1, n. 2, p. 269-294, jul./dez, 2009.

COELHO, Ana Maria. Educação e Cuidados em Creche Conceptualizações de um grupo de educadoras. 2004. 490f. Tese (Doutoramento em Ciências da Educação) -Universidade de Aveiro, Aveiro, 2004.

COUTINHO, Ângela Maria. Ação social dos bebês: um estudo etnográfico no contexto da creche. 2010. 312f. Tese (Doutoramento em Estudos da Criança) -Universidade do Minho, Braga, 2011.

DAHLBERG, Gunilla; MOSS, Peter; PENCE, Alan. Beyond Quality in Early Childhood Education and Care: Postmodern perspectives. London: Falmer Press, 1999.

FERNANDES, Natália; TOMÁS, Catarina: Da Emergência da Participação à Necessidade de Consolidação da Cidadania da Infância...os Intricados Trilhos da Acção, da Participação e do Protagonismo Social e Político da Infância. In: SARMENTO Manuel; CERISARA, Ana Beatriz (Eds). Crianças e Miúdos. Perspectivas sociopedagógicas da infância e educação. Porto: Edições Asa, 2014, p.35-62.

FERREIRA, Manuela; ROCHA, Cristina. As crianças na escola e a reconstituição do seu ofício como alunos/as – análise da produção académica nacional (1995-2005): campos disciplinares, instituições e temáticas. Comparências, ausências e prelúdios. Investigar em Educação. Revista da Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação, n. 6/7, p.15-126, 2010.

FERREIRA, Manuela; TOMÁS, Catarina. “Já podemos ir brincar?” – A construção social da criança como aluno no jardim de infância. In CORTESÃO, Irene; NEVES, Ivone; PEQUITO, Paula; SAMAGAIO, Florbela; TREVISAN, Gabriela (Eds). Travessias e Travessuras nos Estudos da Criança - Atas do III Simpósio Luso-Brasileiro em Estudos da Criança. Porto: Edições ESE Paula Frassinetti, 2016.

FOLQUE, Maria Assunção; TOMÁS, Catarina; VILARINHO, Emília; SANTOS, Lúcia; HOMEM, Luísa; SARMENTO, Manuel. Pensar a educação de Infância e os seus contextos. In: SILVA, Manuela et al. (Ed.). Pensar a Educação: temas sectoriais. Lisboa: Educa, 2015, p. 9-46.

GALEANO, Eduardo. De pernas pro ar: a escola do mundo ao avesso, 9. edição. Porto Alegre: L&PM, 2007.

GARNIER, Pascale. A Educação Infantil e a Questão da Escola: O caso da França. Cadernos de Pesquisa, v.44, n.151, p.62-82 jan./mar. 2014.

GEERTZ, Clifford. Nova luz sobre a antropologia. Rio de Janeiro. Jorge Zahar Editor, 2001.

HIRATA, Helena. Gênero, classe e raça. Interseccionalidade e consubstancialidade das relações sociais. Tempo Social, revista de sociologia da USP, v. 26, n. 1, p. 61-73, 2014.

OCDE. Starting Strong II. Early childhood, Education and Care. Paris: OECD Publishing, 2006.

PUREZA, José Manuel. O que os jovens (não) sabem sobre os direitos humanos. Noesis, Lisboa, n. 56, p.27-28, 2000.

REYNAERT, Didier ; Bouverne-De Bie, Maria; Vandevelde, Stijn. Between ‘believers’ and ‘opponents’: Critical discussions on children’s rights. The International Journal of Children's Rights, London, v.20, n.1, p. 155 – 168, 2012.

ROCHA, Eloísa Acires. A Pedagogia e a Educação Infantil. Revista Ibero-Americana de Educação, n. 22, p. 61-74, jan-abri 2000.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A Educação na Encruzilhada de Paradigmas Rivais. Texto da intervenção no Conselho Nacional de Educação, Lisboa, 2016. Disponibilidade em: . Acesso em: 27 fev. 2017.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para além do Pensamento Abissal: Das linhas globais a uma ecologia de saberes. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (Eds). Epistemologias do Sul. Coimbra: Editora Almedina, 2009, p.23-71.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Direitos humanos: o Desafio da Interculturalidade. Revista Direitos Humanos, Brasília, n.2, p. 10-18, 2009.

SARMENTO, Manuel; FERNANDES, Natália; TOMÁS, Catarina. Políticas públicas e participação infantil. Educação, Sociedade & Culturas, n. 25, p. 183-206, 2007.

STOER, Stephen; CORTEZÃO, Luiza. Multiculturalisme et politique éducative dans un contexte global. Une perspective européene. In: Wieviorka, Michel; OHANA, Jocelyne (Orgs.). La différence culturelle. Une reformulation des débats. Paris: Balland, 2001, p.448-460.

TOMÁS, Catarina. As culturas da infância na educação de infância: Um olhar a partir dos direitos da criança. Interacções, Lisboa, n. 32, p. 129-144, 2014.

TOMÁS, Catarina. “Há muitos mundos no mundo”. Cosmopolitismo, Participação e Direitos da Criança. Porto: Edições Afrontamento, 2011.

UN Committee on the Rights of the Child (CRC). General comment No. 7 (2005): Implementing Child Rights in Early Childhood. CRC/C/GC/7/Rev.1, 20 set, 2006. Disponibilidade em: . Acesso em: 01 mar 2017.

UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 5.2.2008 COM(2008) 55 final. Um lugar especial para as crianças na acção externa da EU. 2008. Disponibilidade em:< http://tinyurl.com/h4eg27r>. Acesso em: 2 mar.2017.

UNICEF. A Guide to General Comment 7: ‘Implementing Child Rights in Early Childhood. The Hague: Bernard van Leer Foundation, 2006.

UNICEF. The State of the World’s Children 2016. Nova York, 2017. Disponibilidade em:. Acesso em: 27 fev.2017.

URBAN, Mathias. At sea: What direction for critical early childhood research? Journal of Pedagogy, n. 1/2, p.107-121, 2016.

VASCONCELOS, Teresa. A Importância da Educação na Construção da Cidadania, Saber (e) Educar, Porto, n. 12, p. 109-117, 2007.

VASCONCELOS, Teresa. Recomendação. A Educação dos 0 aos 3 Anos. Lisboa: CNE, 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Catarina Tomás

e-ISSN: 2358-8322

Copyright: © 2014 Unitins

 

Revista Humanidades e Inovação

Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação

108 Sul Alameda 11, Lote 03 - CEP.: 77020-122 - Palmas-Tocantins

Tel.: (63) 3218-4911

 E-mail: rev.humanidades@unitins.br

 

 

Indexadores:

LatindexSistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal

RedibRed Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico (Consejo Superior de Investigaciones Científicas, Espanha)

Livre!Portal para periódicos de livre acesso na Internet (Brasil)

MiarInformation Matrix for the Analysis of Journals (Universitat de Barcelona, Generalitat de Catalunya)

Mir@bel - (Re) cueillir les savoirs (Sciences Po Lyon, Sciences Po Grenoble e Diderot Biblioteca Lyon, França)

Diadorim Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras (Brasil)