CONTRIBUTOS DA FORMAÇÃO PARA A (RE)DEFINIÇÃO DA IDENTIDADE DOCENTE NA CRECHE: TENSÕES E CONQUISTAS

Cinthia Magda Fernandes Ariosi

Resumo


A construção da identidade docente na creche é o foco deste trabalho que foi desenvolvido de 2014 a 2016. O objetivo geral foi refletir sobre a identidade docente na creche, oferecendo estudos que pudessem fortalecer a autoestima e a formação dos professores, contribuindo para que entendessem o quanto é de vital importância o papel do educador como mediador ou facilitador do processo de aprendizagem na Creche. A principal motivação para esse trabalho foi a sensação de desprestigio e desvalorização que os professores tinham por atuarem na creche. A pesquisa se desenvolveu por meio de questionários que coletavam as percepções e necessidades e intervenções que buscavam sustentar as reflexões e propostas, desta forma a metodologia utilizado foi a pesquisa-ação. O processo foi um pouco conturbado, mas os resultados absolutamente positivos.

Palavras-chave: Identidade docente; Creche; Formação continuada; Pesquisa-ação.


Texto completo:

PDF

Referências


ARIOSI, Cinthia Magda Fernandes. A formação de professores de creche no contexto das políticas educacionais contemporâneas: a análise do relatório de gestão consolidado no exercício 2014 do governo federal. In: Congresso Paulista de Educação infantil/Simpósio Internacional de Educação Infantil, VII/III, 2015, São Carlos/SP. Anais. São Carlos: UFSCAR, 2015a. Disponível em: . Acesso em: 10 mar 2016

ARIOSI, Cinthia Magda Fernandes. A formação continuada de professores de creche: uma experiência de construção da identidade. In: Jornada do Núcleo de Ensino de

Marília, 14ª, 2015, Marília/SP. Anais. Marília: FFC/Unesp, 2015b. Disponível em: . Acesso em: 10 mar 2016.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 05 de outubro de 1988. Organização do texto por Juarez de Oliveira. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 1990. 168 p. (Série Legislação Brasileira).

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: MEC, 1996. Disponível em: . Acesso em: 23 mar 2008.

BRASIL. Lei nº 11.738, de 16 de julho de 2008. Regulamenta a alínea “e” do inciso III do caput do art. 60 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação básica. Disponível em: . Acesso em: 23 mar 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Resolução nº 5, de 17 de dezembro de 2009. – Brasília: MEC, SEB, 2010.

BONDÍA, J. L.. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. In: Revista Brasileira de Educação. n. 19. Jan - Abr /2002. Disponível em: . Acesso em: 10 jan 2017.

CHAVES, G. M. M. Ação pedagógica na creche. In: Ciências e letras, Porto Alegre, n. 43, p. 99-105, jan./jun. 2008. Disponível em: . Acesso em: 10 jan 2017.

FARIAS, I. M. S. de. et al (Org.). Didática e docência: aprendendo a profissão. 3. ed., Brasília: LiberLivro, 2011.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 27.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996. (Coleção Leitura)

GANDINI, L.; GOLDHABER, J.. Duas reflexões sobre a documentação. In: GANDINI, L. EDWARDS, C. Bambini: a abordagem italiana à educação infantil. Porto Alegre: ArtMed, 2002.

HARGREAVES, A. Aprendendo a mudar: o ensino para além dos conteúdos e da padronização. Porto Alegre: Artmed, 2002.

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 6. ed. São Paulo. Cortez. 2006 (Col. Questões da Nossa época, v.77)

IMBERNÓN, F. Formação continuada de professores. Porto Alegre: Artmed, 2010.

LINO, D.. O modelo curricular para a Educação de Infância de Reggio Emília: Uma apresentação. In: FORMOSINHO, J. O. (Org.) Modelos Curriculares para a Educação Infantil. 2.ed. Porto, Pt: Porto Editora, 1998.

MOITA, M. C. Percursos de formação e transformação. In: NÓVOA, A. (org.). Vida de professores. Porto, Pt: Porto Editora, 1992.

MOSQUERA, J. J. M.; STOBÄUS, C. D. Afetividade: a manifestação de sentimentos na educação. Educação, Porto Alegre. v.

, n. 1, p. 123-133, 2006. Disponível em: . Acesso em 13 jan. 2017.

NÓVOA, A. Formação de professores e profissão docente. In: NÓVOA, Antônio (Org.). Os professores e a profissão. Lisboa: Dom Quixote, 1992.

PELOSO, F. C. Uma perspectiva histórica da instituição de atendimento à criança pequena no Brasil: contribuições dos movimentos sociais. In: Revista Teoria e Prática da Educação, v.12, n.3, p. 279-287, Rio Claro, SP: set./dez. 2009.

RINALDI, C.. O Currículo Emergente e o Construtivismo Social. In: EDWARDS, C.; GANDINI, L.; FORMAN, G.; As cem linguagens da criança: a abordagem de Reggio Emilia na educação da Primeira Infância. Porto Alegre/RS: ArtMed, 1999.

SACRISTÁN, J. G. Poderes instáveis em educação. Porto Alegre: Artmed, 1999.

TRIPP, D. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. In: Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 443-466, set./dez. 2005. Disponível em: . Acesso em: 10 jan 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Cinthia Magda Fernandes Ariosi

e-ISSN: 2358-8322

Copyright: © 2014 Unitins

 

Revista Humanidades e Inovação

Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação

108 Sul Alameda 11, Lote 03 - CEP.: 77020-122 - Palmas-Tocantins

Tel.: (63) 3218-4911

 E-mail: rev.humanidades@unitins.br

 

 

Indexadores:

LatindexSistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal

RedibRed Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico (Consejo Superior de Investigaciones Científicas, Espanha)

Livre!Portal para periódicos de livre acesso na Internet (Brasil)

MiarInformation Matrix for the Analysis of Journals (Universitat de Barcelona, Generalitat de Catalunya)

Mir@bel - (Re) cueillir les savoirs (Sciences Po Lyon, Sciences Po Grenoble e Diderot Biblioteca Lyon, França)

Diadorim Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras (Brasil)