FORMAÇÃO CONTINUADA: A RELAÇÃO TEORIA-PRÁTICA DE PROFESSORES

Palavras-chave: Formação de Professores. Projeto Político Pedagógico. Espaço Escolar. Trabalho Educativo

Resumo

Esse artigo tem por objetivo trazer um formato inovador de métodos e técnicas para aprofundar a concepção do processo formador dos professores, tecendo crítica aos modelos atuais e de ser limitado ao método formativo dos professores. Neste sentido, procurou-se mostrar a importância de saber que o espaço escolar deve ser visto como um local privilegiado, com momentos de estudos, para que todos os profissionais venham desempenhar seu papel na busca do conhecimento, tornando a escola lugar propício de saberes, discutindo com propriedade diante dos desafios, assumindo como princípio a convergência dos percursos pedagógicos. Dois objetivos básicos do trabalho são: o universo de conhecimento adquirido pelos professores e a reflexão de nortear o trabalho educativo, com vistas nas ponderações e operacionalização que será desenvolvido na escola. Notou-se com o estudo, o aprimoramento alcançado mediante a prática, visando um ensino de qualidade e a compreensão dos espaços pedagógicos alinhados ao saber inovador.

Biografia do Autor

Seila Sousa dos Santos Ferreira, Universidade Federal do Tocantins (UFT)

Graduada em Pedagogia com habilitação em Supervisão e Docência das Séries Iniciais e Especialista em Coordenação Pedagógica pela Universidade Federal do Tocantins (UFT).

Madalena Varzinha Ferreira Melo Costa, Universidade Federal do Tocantins (UFT)

Graduada em Normal Superior. Pós-graduada em Gestão e Metodologia de Ensino de Linguagem, Arte e Educação Física, pela Universidade Estadual do Tocantins (Unitins), e em Gestão Municipal pela Universidade Federal do Tocantins (UFT). 

Vanda Elizete Vieira da Costa, Universidade Federal do Tocantins (UFT)

Graduada em Pedagogia, Pós-graduada em Orientação Educacional e Libras e Mestranda em Educação pela Universidade Federal do Tocantins (UFT). 

Rita de Cássia Coronheira Silva, Universidade Federal do Tocantins (UFT)

Graduada em Pedagogia, Especialização Lato Sensu em Orientação Educacional pelo Centro de Universitário (UNIRG), Especialização em Educação Infantil pela Universidade Federal do Tocantins (UFT) e Mestre em Educação pela Universidade Federal do Tocantins (UFT). 

Valdenir Castro Bezerra, Universidade Federal do Tocantins (UFT)

Mestranda em Educação (PPPGE/UFT). Especialista em Educação Infantil (UFT). Especialista em Supervisão e Orientação Educacional pelo ITOP. Graduada em Pedagogia (Unitins). 

Referências

ARROYO, Miguel. Currículo: território em disputa. Petrópolis: Vozes, 2011.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei n. 9.394/96). In: Brasil. Ministério da Educação. Secretaria de Ensino Médio. Parâmetros Curriculares Nacionais: ensino médio. Brasília: MEC/SEMT, 1999ª, p. 39-57.

BRASIL. O Plano Municipal de Educação. Caderno de Orientações. Brasília: MEC/ SASE, 2014.

BRASIL. Resolução CNE/CEB nº 4, de 13 de julho de 2010 – Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação Básica. Câmara de Educação Básica – MEC/CNE/CEB, 2010.

BRZEZINSKI, I. Notas sobre o currículo na formação de professores: teoria e prática. In: SERBINO, R. Q. et al. (Org.). Formação de professores. São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1998, p.161-74.

DUTRA, E. F. Relação entre Teoria e Prática em Configurações Curriculares de Cursos de Licenciatura. In: Anais do VII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, Florianópolis/SC, 2009, p. 1-12.

GADOTTI, Moacir. Boniteza de um sonho: ensinar-e-aprender com sentido. Novo Hamburgo: Feevale, 2003.

SAVIANI, Demerval. Escola e Democracia. Teorias da educação. Curvatura da vara, onze teses sobre educação e política. SP. 8ª. ed. São Paulo, SP. Cortez/Autores Associados, 1983, p.83.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 11. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2011.

NÓVOA, António. O passado e presente dos professores. In: NÓVOA, António (Org.) Profissão professor. Porto: Dom Quixote, 1995.

PORTO, Yeda da Silva (1998), “formação continuada de professores: Possibilidades e limitações de intervenção na prática pedagógica”. Pelotas: UFPel. Dissertação de Mestrado.

PIMENTA, Selma Garrido (1994), “Formação de professores no Brasil em nível de 2º grau”.In: Por uma politica de formação de professores para a educação básica. Belo Horizonte: Fundação Amae 1994.

PERRENOUD, P. “Construir competências é virar as costas aos saberes?” In: Revista Pátio, Porto Alegre: ARTMED, ano 03, nº 11, jan. 2000 (p. 15-19).

PERRENOUD, P; ALTET, M; CHARLIER, É; PAQUAY, L. “Fecundas incertezas ou como formar professores antes de ter todas as respostas”. In: PERRENOUD, P; PAQUAY, L; ALTET, M; CHARLIER, É. (Org.) Formando professores profissionais. Quais estratégias? Quais competências? 2ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2001, p. 83-100.

WEFFORT, Madalena Freire. Sobre o processo de formação do educador. Em Foco. Petrópolis: Vozes, nº 0, outubro (1994).

Publicado
2022-05-12
Seção
ARTIGOS DE FLUXO CONTÍNUO