MAPEAMENTO E SISTEMATIZAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL E MISTA E ÓRGÃOS PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE DIANÓPOLIS – TO

Palavras-chave: Troca de conhecimento. Integração. mapeamento. Organizações. Formação.

Resumo

Este relato de experiência apresenta um relato do mapeamento e a sistematização realizado junto ás Organizações da Sociedade Civil e Mista e Órgãos Públicos do Município de Dianópolis – TO e é parte das ações previstas no projeto “INTERCÂMBIO DE SABERES: Promovendo a integração Unitins/Câmpus Dianópolis, Sociedade Civil e Poder Público” que tem como objetivo “Promover a Integração da IES com os setores públicos e privados bem como com os Micro Empreendedores Individuais e Conselhos Municipais a partir de uma perspectiva dialógica com estes setores e no respeito às diferentes formas de saber” cuja objetivo geral foi reunir os diversos setores do governo municipal e da sociedade civil com o propósito de levantar demandas de cursos de formação e capacitação, para subsidiar o projeto de “Intercâmbio de saberes” e, consequentemente, a promoção de atividades de capacitação/formação a ser ofertado pela Unitins/Câmpus Dianópolis. Concluímos que os participantes das organizações demonstraram interesse nos processos de formação a serem ofertados pela Unitins e na possibilidade de parceria com a IES. No final, evidenciou-se evidente que são muitas as necessidades de formação e capacitação que as Organizações Publicas e Privadas do município de Dianópolis necessitam.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Iara Batista Café, Unitins

Acadêmica do curso de graduação em Ciências Contábeis da Universidade Estadual do Tocantins - Unitins. 

Maria Regina Teixeira da Rocha, Universidade Estadual do Tocantins

Doutora. Professora do curso de Ciências Contábeis da Universidade Estadual do Tocantins - Unitins. 

Referências

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2009.

FORPROEX – FÓRUM DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS. Política Nacional de Extensão Universitária. Manaus-AM, 2012. Disponível no link: https://www.ufmg.br/proex/renex/images/documentos/2012-07-13-Politica-Nacional-de-Extensao.pdf. Acesso em 28.01.2021

FURTADO, Jose Ribamar de Souza; FURTADO, Eliane Deise Pontes. A intervenção participativa dos atores-Inpa: uma metodologia de capacitação para o desenvolvimento sustentável. Brasília, IICA, 2000.

FURTADO, Jose Ribamar de Souza; FURTADO, Eliane Deise Pontes. Mediação Social para Equidade de Gênero nos territórios Rurais. Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura, IICA. Brasília, IICA. 2004.

GHON, Maria da Glória. Educação Não Formal, Aprendizagens e Saberes em Processos Participativos. Investigar em Educação. v. 1, p. 35-50, 2014. Disponível no site: http://ambientedetestes2.tempsite.ws/ciencia-para-educacao/publicacao/gohn-m-g-m-educacao-nao-formal-aprendizagens-e-saberes-em-processos-participativos-investigar-em-educacao-v-1-p-35-50-2014/ Acesso: 12.04.2019.

GONÇALVES Nadia Gaiofatto. Indissociabilidade entre Ensino, Pesquisa e Extensão: um princípio necessário. Revista Perspectiva, Florianópolis, v. 33, n. 3, p. 1229 - 1256, set./dez. 2015. Disponível no site: http://www.perspectiva.ufsc.br. Acesso: 12.04.2019.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

PAULA, João Antônio de. A extensão universitária: história, conceito e propostas. Disponível no site: http://www.dche.ufscar.br/extensao/Aextensouniversitriahistriaconceitoepropostas1.pdf. Acesso: 12.04.2019.

UNITINS – Universidade Estadual do Tocantins. Política de Extensão da Universidade Estadual do Tocantins. Universidade Estadual do Tocantins. Palmas, Tocantins, 2017.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da Pesquisa-Ação. São Paulo: Cortez, 1985.

Publicado
2021-06-16
Seção
Relatos de Experiência