QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO NO CAMPUS DA UNITINS NO MUNICÍPIO DE PALMAS (TO)

  • Laricy Kariny Silva Neto PIBIC-Unitins
  • Ricardo Peixoto Unitins

Resumo

A importância da avaliação da qualidade da água para consumo humano está baseada no fato dela ser um dos principais veículos de enfermidades de natureza infecciosa. A presente pesquisa teve como objetivo avaliar a qualidade da água para consumo humano, por meio da caracterização microbiológica da água quanto à presença ou ausência de coliformes totais e coliformes termotolerantes Escherichia coli. Foi analisada a potabilidade da água utilizada em bebedouro e copa, da UNITINS para investigação da presença de E. coli. Foram feitas 5 coletas semanais consecutivas no período de nov/14 a dez/14, sendo uma coleta de cada ponto, totalizando um total de 10 (dez) amostras. Apesar de todas as amostras avaliadas apresentarem à ausência de E.coli, elas não se enquadram nos padrões de potabilidade da água para consumo humano estabelecidos pela portaria nº 2.914, de 12 de dezembro de 2011 do Ministério da Saúde, devido à presença de coliformes totais em 99,9% das amostras coletadas.

Biografia do Autor

Laricy Kariny Silva Neto, PIBIC-Unitins
Estudante do Curso de Engenharia Agronômica da Fundação Universidade do Tocantins/UNITINS
Ricardo Peixoto, Unitins
Professor do Curso de Engenharia Agronômica da Fundação Universidade do Tocantins/UNITINS

Referências

AMARAL, L.A.; NADER FILHO, A, ROSSI JUNIOR, O.D.; FERREIRA, F.L.; BARROS, L.S.S. Àgua de consumo humano como fator

de risco a saúde em propriedades rurais. Revista de Saúde Pública, Jaboticabal, v.37, n.4, p.510-514, 2003.

AMORIM, M. C. C.; PORTO, E. R. Avaliação da Qualidade Bacteriológica das Águas de Cisternas: Estudo de Caso no Município

de Petrolina - PE. Anais do 3º Simpósio Brasileiro de Captação de Água de Chuva no Semiárido. Campina Grande – PB,

ABCMAC, 2001.

BARBOSA, D. A.; LAGE, M. M.; BADARÓ, A. C. L. QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DA ÁGUA DOS BEBEDOUROS DE UM

CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE IPATINGA, MINAS GERAIS. Itapatinga: Nutrir Gerais, 2009.

BRANCO, S. M., CLEARY, R. W., et al.,1991, Hidrologia Ambiental, ed. 3, São Paulo – SP, Edusp.

BRASIL, Ministério da Saúde. Portaria Nº 2.914/11 de 2011. Disponível em: <http://site.sabesp.com.br/uploads/file/

asabesp_doctos/kit_arsesp_portaria2914.pdf> Acesso em 29/09/15.

BOMFIM, M. V. J.; SOEIRO, G. de O.; MADEIRA, M.; BARROS, H. D. Avaliação físicoquímica e microbiológica da água de

abastecimento do laboratório de bromatologia da UERJ. Revista Higiene Alimentar, São Paulo, v. 21, n. 152, p. 99-103, jun.

CONSELHO NACIONAL DE MEIO AMBIENTE-CONAMA. Resolução nº 274, de 29 de novembro 2000. Dispõe sobre os

parâmetros, e indicadores específicos, de modo a assegurar as condições de balneabilidade. Disponível em:< http://www.

mma.gov.br /port/conama/res/res00/res27400.html>. Acesso em: 29/09/2015.

IDEXX Laboratories Inc. Cartilha explicativa do método Colilert, Tecnologia do Substrato Definido. 2002. Disponível em:

www.idexx.com.br > Acesso em: 29/09/2015.

FUNASA, (Fundação Nacional da Saúde). Manual prático de análise de água. 2ed. Revisada, Brasília, 2006.

Gomes PCFL, Campos JJ, Menezes M, Veiga, SMOM. Análise físico-química e microbiológica da água de bebedouros de uma

IFES do sul de Minas Gerais. Rev Hig Alimentar. 19(133):63-5. 2005.

JAWETZ, E.; MELNICK, J. L.; ADELBERG, E. A. Microbiologia médica. 13ª edição, Ed. Guanabara Koogan. Rio de Janeiro, 1980.

LEITE, Jéssica; C. CASTILHOS, Zuleica; EGLER, Silvia. Avaliação Preliminar da Qualidade Microbiológica da Água Consumida

Pela Comunidade de Mata dos Palmitos, Ouro Preto, MG. Ouro Preto, 2010.

LUNARDAO, Gisele. Análise microbiológica da água procedente de reservatórios residenciais do município de LinsSP.

São Paulo, 2004.

FREITAS, M. B., FREITAS, C. M. A vigilância da qualidade da água para consumo humano – desafios e perspectivas para o

Sistema Único de Saúde. Ciência & Saúde coletiva, 2005.

SANTIAGO, Maria Marlúcia Freitas et al. Hidrogeoquímica de Lavras da Mangabeira. Fortaleza, set. 2007.

NASCIMENTO, Karla Alvarenga et al. Análise e orientações sobre a qualidade microbiológica da água não tratada utilizada

para o consumo humano em propriedades na zona rural e periurbana e em escolas rurais de Jataí e entorno. Jatai, 2012.

Oliveira ACS, Terra APS. Avaliação Microbiológica das águas de bebedouros do campus I da Faculdade de Medicina do

Triângulo Mineiro, em relação à presença de coliformes totais e fecais. Rev Soc Bras Med Trop. 37(3):285-6. 2004

PINTO, A.J.T.; KANEKO M.T.; OHARA T.M. Controle Biológico de Qualidade de Produtos Farmacêuticos, Correlatos e

Cosméticos. 2ed. São Paulo: Atheneu, 2003.

REIS, Francini et al. VALIAÇÃO DA QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE ÁGUAS E SUPERFÍCIES DE BEBEDOUROS DE PARQUES DE

CURITIBA – PR. Visão Acadêmica, Curitiba, v. 12, n. 1, p.55-70, 2012.

REIS, Ana Paula Borges et al. ANÁLISE MICROBIOLÓGICA DA ÁGUA ARMAZENADA EM RESERVATÓRIO NA CIDADE DE

CAMPO LIMPO DE GOIÁS, GO. Anápolis, 2010.

SARMENTO, R.; SERAFIM, A.J.; DORIGUETO, J.M.; DONATELLI, M. R. Determinação Da Capacidade de Assimilação dos Corpos

de Água Para a Disposição Final dos Efluentes Domésticos e Industriais. ABES. Salvador,1995.

Publicado
2016-06-11
Como Citar
Silva Neto, L. K., & Peixoto, R. (2016). QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO NO CAMPUS DA UNITINS NO MUNICÍPIO DE PALMAS (TO). AGRI-ENVIRONMENTAL SCIENCES, 1(2). Recuperado de https://revista.unitins.br/index.php/agri-environmental-sciences/article/view/89