PECUÁRIA NA AMAZÔNIA: MELHORA NA PRODUÇÃO LEITEIRA ANTE O DESMATAMENTO E PROGRAMAS DE ASSENTAMENTOS NA REGIÃO DO BICO DO PAPAGAIO/TO

  • Hubcarmo Nathalio Souza Amorim UNITAU
  • Edson Vieira Trajano UNITAU
Palavras-chave: Desmatamento. Assentamento. Cadeia produtiva.

Resumo

Os registros de produção leiteira no Brasil são datados de 1961, e a atividade foi ganhando força. O país está entre os dez maiores produtores de leite do mundo. A agropecuária exercida por pequenos produtores tem limitações, entre elas o poder de negociar seus produtos, e o desmatamento dar vida a grandes pastagens onde tem influência direta na economia do leite. Na região do Bico do Papagaio/TO é comum projetos de assentamentos, onde o objetivo é a oferta de glebas de terra para famílias produzirem, fortalecendo a relação terra e produtor. O estudo visa o indicar uma alternativa de fortalecimento dos pequenos produtores de leite da microrregião. Na metodologia, utiliza-se um estudo qualitativo, descritivo, bem como da análise de SWOT e de GUT, identificando os pontos fortes e fracos da cadeia produtiva do leite, e indicar alternativas de mudanças para fortalecimento dos pequenos produtores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hubcarmo Nathalio Souza Amorim , UNITAU

Professor Universitário da Faculdade de Imperatriz-FACIMP. Graduado em História pela Universidade Estadual do Maranhão. Graduado em Direito pela Faculdade de Imperatriz-FACIMP. Mestrando em Desenvolvimento Regional pela Universidade de Taubaté-UNITAU. 

Edson Vieira Trajano, UNITAU

Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade de Taubaté (1995); Mestrado em conomia pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (1999) e Doutorado em História Econômica pela Universidade de São Paulo (2009). Coordenador do projeto de Pesquisa: Economia Criativa e desenvolvimento no município de Taubaté/SP. Editor de seção da Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional. Pesquisador do Núcleo de Pesquisa Econômicas e Sociais que estuda os temas variação nos preços da cesta básica, emprego, renda e escolaridade. Coordenador do Escritório de Internacionalização e Redes de Cooperação do Módulo. 

Referências

ADAPEC. Dados Gerais. MATIAS. Adriana Costa. Inspetora de Defesa Agropecuária. Chefe do Escritório Local de Augustinópolis. 2018.
ALVES-MAZZOTI, A. J. & GEWANDSZNAJDER, J. J. Monografia no curso de administração: guia completo de conteúdo e forma. São Paulo: Atlas, 2004.
ARAÚJO, Massilon J. Fundamentos de agronegócios. 3ed. São Paulo. Atlas, 2010.
BATALHA, Mario Otavio. GEPAI: Grupo de Estudos e Pesquisas Agroindustriais. Gestão agroindustrial. Vol. 1. 3 ed. São Paulo: Atlas, 2007.
BATALHA, Mário Otávio. Gestão agroindustrial: GEPAI: Grupo de estudos e pesquisas agroindustriais. Vol.1. 3.ed. São Paulo: Atlas 2010.
BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Agropecuária puxa PIB de 2017. Disponível em www.agricultura.gov.br/noticias/agropecuaria-puxa-pib-de-2017. Acesso em 01 de mar. 2020.
FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC. Apostila. 2002.
FURTADO, C. Desenvolvimento e subdesenvolvimento. Rio de Janeiro. Fundo de Cultura, 1961.
GASQUES, J. G. et al. Produtividade total dos fatores e transformações da agricultura brasileira: análise dos dados dos censos agropecuários. In: GASQUES, J. G.; VIEIRA FILHO, J. E. R.; NAVARRO, Z. (Org.). A agricultura brasileira: desempenho, desafios e perspectivas. Brasília: Ipea, 2010.
IBGE. Indicadores IBGE: estatística da produção pecuária. Disponível em www.ibge.gov.br/estatisticas-novoportal/economicas/agricultura-e-pecuaria/9209-pesquisa-trimestral. Acesso em 28 de mar. 2020.
IBGE. Pesquisa trimestral do leite. Disponivel em https://www.ibge.gov.br/estatisticas-novoportal/economicas/agricultura-e-pecuaria/21121-primeiros-resultadios-2leite.html?=&t=series-historicas. Acesso em 10 de mar. 2020.
INCRA. Informações gerais sobre assentamento da reforma agrária no Estado do Tocantins. Disponível em < http://painel.incra.gov.br/sistemas/index.php> Acessado em 20 de mar. 2020.
INPE. Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Projeto Terraclass 2014. Disponível em . acesso em 28 de mar. 2020.
KAIMOWITZ, D.; ANGELSEN, A. Economic models of tropical deforestation: a review. CIFOR – Center for International Forestry Research, Bogor, Indonesia, 1998.
LIMA, Manolita Correia. Monografia: a engenharia da produção científica. 2º ed. rev. e atualizada. São Paulo. Saraiva. 2008.
MARGULIS, Segio. Causas do Desmatamento da Amazônia Brasileira. 1ª edição. Brasília/DF. 2003.
MARION, J. C. Contabilidade da Pecuária. José Carlos Marion e Sonia segatti.14.ed.- São Paulo: Atlas, 2012
MARION. J. C. Segatti. S. Sistema de gestão de custos nas pequenas propriedades leiteiras. Custos e Agronegócio on line - v. 2 - n.2 – Jul/Dez - 2006. Disponível em: OIAGEN, Ricardo Pedros; BARCELLOS, Júlio Otávio Jardim. Gestão na bovinocultura de corte. Agrolivros. Guaíba. 2014.
Produção de leite no Tocantins: novos rumos. Disponível em https://www.milkpoint.com.br/mypoint/182194/p_producao_de_leite_no_tocantins_novos_rumos_cooperideal_intensificacao_leite_a_pasto_consultoria_leite_5864.aspx. Acesso em 05 de mar. 2020.
RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa Social: métodos e técnicas. São Paulo. Atlas. 1999.
SERRA, F.; TORRES, M. C. S. & TORRES, A. P. Administração Estratégica. Rio de Janeiro: Reichmann e Affonso Editores, 2004.
SPAROVEK, Gerd. Assentamentos em debate Ministério do Desenvolvimento Agrário. Núcleo de Estudos Agrários e Desenvolvimento Rural. Brasilia. 2005.
VIANA, Giomar; FERRAS, Robson Paulo. A Cadeia Produtiva do Leite: Um Estudo Sobre a Organização da Cadeia e Sua Importância para o Desenvolvimento Regional. Revista Capital Cientifico. Guarapuava-PR. v5.n.1. 2007.
Publicado
2020-10-15
Seção
Artigos