PLANTAS MEDICINAIS: DIFUSÃO DO CONHECIMENTO E PRÁTICAS FARMACÊUTICAS MAGISTRAIS

Palavras-chave: Plantas Medicinais. Etnobotânica. Fitoterapia. Educação em Saúde.

Resumo

Sempre houve o emprego de plantas medicinais na recuperação da saúde. O objetivo dessa intervenção foi incentivar o uso correto das plantas medicinais em uma comunidade escolar de Maceió - AL, difundindo o conhecimento acerca da fitoterapia, através da manipulação de formulações magistrais. A metodologia envolveu reuniões de mútuo conhecimento, coleta de informações sobre o uso das plantas medicinais, confecção de materiais didáticos, treinamentos farmacotécnicos, coleta do material botânico, elaboração de extratos vegetais, manipulação de formas farmacêuticas, e palestras para promover o uso racional das plantas medicinais e fitoterápicos. Dos 76 questionários aplicados, 94,59% das crianças responderam que seus familiares utilizavam plantas medicinais e 74,32% não acreditavam que elas podem causar problemas de saúde. Dentre as plantas utilizadas estavam: alecrim, boldo-nacional, camomila, hortelã. Foram realizadas diversas ações através da confecção de pôsteres informativos, entrega de panfletos, sais de banho e mudas de plantas. Também foram executadas oficinas ensinando a cultivar feijão e no decorrer das palestras foram entregues frutas, chás, sucos, bolos contendo vegetais. As crianças interagiram bastante durante as ações e mostraram-se curiosas durante as palestras, os conhecimentos delas sobre as plantas e frutas superou as expectativas, logo observou-se que a metodologia utilizada contribuiu para difundir o conhecimento, facilitando a aprendizagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Saskya Araújo Fonseca, Centro Universitário Cesmac

Bióloga e Farmacêutica, Mestra em Pesquisa em Saúde e Doutora em Biotecnologia, Centro Universitário Cesmac.

Karwhory Wallas Lins da Silva, Centro Universitário Cesmac

Farmacêutico, especializado em Farmácia Magistral, Centro Universitário Cesmac.

Daniela Calumby de Souza Gomes, Centro Universitário Cesmac.

Biomédica, Centro Universitário Cesmac.

Rayanne Nunes da Silva, Centro Universitário Cesmac.

Farmacêutica, Centro Universitário Cesmac.

Sâmea Keise de Oliveira Silva, Centro Universitário Cesmac.

Farmacêutica, Centro Universitário Cesmac.

Vanessa Cardoso Barbosa, Centro Universitário Cesmac

Farmacêutica, especializada em Farmácia Clínica e Prescrição Farmacêutica, Centro Universitário Cesmac.

Kézia Kewyne Lins da Silva, Centro Universitário Cesmac

Nutricionista, Centro Universitário Cesmac.

Rosiane Silva de Barros, Centro Universitário Cesmac.

Farmacêutica, especializada em Farmácia Clínica e Prescrição Farmacêutica, Centro Universitário Cesmac.

Fernanda de Souza Barros, Centro Universitário Cesmac

Farmacêutica, Centro Universitário Cesmac.

Josefa Renalva de Macêdo Costa, Centro Universitário Cesmac

Farmacêutica e Mestra em Educação, Centro Universitário Cesmac.

Referências

AMOROZO, M. C. M. A abordagem etnobotânica na pesquisa de plantas medicinais. In: DI STASI, L. C. Plantas medicinais: arte e ciência. São Paulo: UNESP, 1996. p. 47-68.

BADKE, M. R. et al. Saberes e práticas populares de cuidado em saúde com o uso de plantas medicinais. Texto & Contexto Enfermagem, Florianópolis, v. 21, n. 2, p. 363-370, abr./jun. 2012. http://www.scielo.br/pdf/tce/v21n2/a14v21n2.pdf

BARBOSA, C. K. R. et al. Qualidade microbiológica de plantas medicinais cultivadas e comercializadas em Montes Claros, MG. Revista Biotemas, Florianópolis, v. 23, n. 1, p. 77-81, abr. 2010. https://periodicos.ufsc.br/index.php/biotemas/article/download/2175-7925.2010v23n1p77/17471

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa. Resolução RDC Nº 48, de 16 de março de 2004. Dispõe sobre o registro de medicamentos fitoterápicos. Brasília, 18 de março de 2004. Diário Oficial [da] União. http://www.cpqba.unicamp.br/plmed/docs/Resolucao%20RDC%2048%20de%2016032004.PDF

______. Ministério da Saúde. Portaria nº 971 de 03 de maio de 2006. Aprova a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no Sistema Único de Saúde. Brasília, 2006. Diário Oficial [da] União. http://www.ins.gob.pe/repositorioaps/0/7/jer/censi_med_norm/BRA-Portaria%20971-2006.pdf

______. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa. Resolução RDC Nº 10, de 09 de março de 2010. Dispõe sobre a notificação de drogas vegetais junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e dá outras providências. Brasília, 10 de março de 2010. Diário Oficial [da] União. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2010/res0010_09_03_2010.html

ELIZABETSKY, E. Etnofarmacologia como ferramenta na busca de substâncias ativas. In: SIMÕES, C. M. O. et al. (Org.). Farmacognosia: da planta ao medicamento. 3 ed. Porto Alegre/Florianópolis: Editora da UFRGS/Editora da UFSC, 2004. v. 2, p. 87-99.

FARIAS, L. F.; BORGES, F. V.; PEREIRA, M. P. Levantamento etnofarmacológico de plantas medicinais utilizadas no bairro Jardim Primavera, Alta Floresta – MT. Enciclopédia Biosfera, Goiânia, v. 11, n. 21, p. 3225-3235, 2015. https://www.conhecer.org.br/enciclop/2015b/multidisciplinar/levantamento%20etnofarmacologico.pdf

JUNIOR, V. F. V.; PINTO, A. C.; MACIEL, M. A. M. Plantas medicinais: cura segura? Química Nova, São Paulo, v. 28, n. 3, p. 519-528, maio/jun. 2005. http://www.scielo.br/pdf/qn/v28n3/24145.pdf

KOVALSKI, M. L.; OBARA, A. T. O estudo da etnobotânica das plantas medicinais na escola. Ciência & Educação, Bauru, v. 19, n. 4, p. 911-927, 2013. http://www.scielo.br/pdf/ciedu/v19n4/v19n4a09.pdf

LORENZI, H.; MATOS, F. J. Plantas Medicinais no Brasil: nativas e exóticas. 2. ed. Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2008.

NAGAI, S. C. et al. Plantas medicinais: projeto de educação ecológica desenvolvido por acadêmicos de enfermagem. Saúde Coletiva, São Paulo, v. 7, n. 42, p. 173-178, 2010.

NETO, F. R. G. et al. Estudo etnobotânico de plantas medicinais utilizadas pela Comunidade do Sisal no município de Catu, Bahia, Brasil. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, Campinas, v. 16, n. 4, p. 856-865, out./dez. 2014. https://www.redalyc.org/pdf/842/84215103004.pdf

ORGANIZACIÓN MUNDIAL DE LA SALUD - OMS. Pautas generales para las metodologías de investigación y evaluación de la medicina tradicional. Ginebra, 2002. 75 p.

OLIVEIRA, V.; SANTOS, E. M.; MESQUITA, E. V. A. Prescrição, preparo e manipulação de plantas medicinais. Revista Saber Científico, Porto Velho, v. 4, n. 1, p. 40-45, jan./jun. 2015. http://revista.saolucas.edu.br/index.php/resc/article/download/526/PDF

SANTOS, L. L. et al. Horta medicinal escolar mandala: integração entre o conhecimento científico. Revista Educação Popular, Uberlândia, v. 14, n. 1, p. 145-160, jan./jun. 2015. http://www.seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/28791/pdf

SILVA, M. I. G. et al. Utilização de fitoterápicos nas unidades básicas de atenção à saúde da família no município de Maracanaú (CE). Revista Brasileira de Farmacognosia, Curitiba, v. 16, n. 4, p. 455-462, out./dez. 2006. http://www.scielo.br/pdf/rbfar/v16n4/a03v16n4.pdf

SILVA, A. C. et al. Projeto de extensão plantas medicinais na atenção básica à saúde. Extramuros, Petrolina, v. 2, n. 2, p. 75-85, 2009. http://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/extramuros/article/download/839/601/

Publicado
2020-07-16
Seção
Relatos de Experiência