IMPACTOS SOCIAIS DE UMA SEQUÊNCIA DIDÁTICA EM MEMÓRIAS LITERÁRIAS DO PIBID LETRAS-UFT EM PORTO NACIONAL

Palavras-chave: Memórias literárias. Sequência didática. Ensino-aprendizagem de língua portuguesa. Pibid.

Resumo

O presente trabalho é fruto do terceiro ciclo de oficinas realizado pelo PIBID Letras da Universidade Federal do Tocantins (UFT) de Porto Nacional. Encontramos possibilidades para trabalhar variados gêneros discursivos organizados em sequências didáticas (DOLZ, NOVERRAZ, SCHNEUWLY, 2004), tendo em vista a Olimpíada de Língua Portuguesa. O grupo de cinco pibidianos trabalhou o gênero discursivo (BAKHTIN, 2003) memórias literárias (MARCUSCHI, 2012) alcançando respostas positivas para os professores em formação e para os estudantes ao construírem novos conhecimentos e ainda viabilizar sua presença na vida presente de um indivíduo e repercutir socialmente. “Memórias” têm um grande impacto social e são evocadas através de momentos, cheiros, lugares trazendo alguma lembrança. Por meio da comunicação oral em sala de aula, os discentes levaram suas principais lembranças para, depois, as registrarem em papel com orientação dos pibidianos, resgatando e compartilhando seus conhecimentos e vivências, bem como desenvolvendo suas competências leitora e escritora (BNCC, 2017).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Gomes de Oliveira, Universidade Federal do Tocantins

Acadêmico do curso de Licenciatura em Letras Português pela Universidade Federal do Tocantins (UFT). Bolsista do Programa de Iniciação à Docência-PIBID. 

Adriana Carvalho Capuchinho, Universidade Federal do Tocantins

Doutora em Estudos Linguísticos e Literários em Língua inglesa (DLM/USP), mestre em Antropologia Social (DA/USP). Graduada em Letras Inglês e Português e em Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH-USP). Docente do curso de Letras - Língua inglesa na UFT-CPN e do PPG Letras UFT-CPN. Coordenadora do PIBID Letras UFT-CPN 2018-2020. 

Referências

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. 4ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.
BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Brasília: MEC, 2017. Disponível em: https://e.edim.co/93040327/BNCC_19mar2018_versaofinal.pdf. 23/08/2020
BRASIL. Lei de diretrizes e bases da educação nacional (LDB). 2017. Disponível em: https://e.edim.co/93040327/lei_de_diretrizes_e_bases_ 23/08/2020
B. J.. Uma vida de borboletas azuis. In: Especial Sobre Avaliação de Textos. Disponível em https://www.escrevendoofuturo.org.br/blog/especial-avaliacao2016/uma-vida-de-borboletas-azuis/. Acesso em: 23/08/2020.
CENPEC. Olimpíada de Língua Portuguesa. IN: Escrevendo o futuro (site). Disponível em: https://www.escrevendoofuturo.org.br/. Acesso em 23/08/2020
BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais. Língua Portuguesa: terceiro e quarto ciclos. Brasília: MEC/SEF, 1998
CENTRO DE ENSINO MÉDIO PROF. FLORÊNCIO AIRES. Projeto político-pedagógico. Porto Nacional: Porto Nacional: Diretoria Regional de Educação, 2016.
DOLZ, Joaquim; NOVERRAZ, Michèlle; SCHNEUWLY, Bernard. Sequências Didáticas para o oral e para a escrita: apresentação de um procedimento. In: SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. Tradução e organização Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro. Campinas: Mercado de Letras,2004. p. 95–128.
Escrevendo o Futuro (site). Análise de texto: Memórias literárias. Disponível em:
https://www.escrevendoofuturo.org.br/conteudo/formacao/cursos-on-line/acesso-ao-curso-de-avaliadores/artigo/2255/analise-de-texto-memorias-literarias. Acesso em: 23/08/2020.
GERALDI, João Wanderley. et al. (orgs.). O texto na sala de aula. 3. ed. São Paulo: Ática, 1999.
LIMA, Gercina ngela Borém. A transmissão do conhecimento através do tempo: da tradição oral ao hipertexto. Revista Interamericana de Bibliotecología Medelín (Colômbia), v. 30, n. 2, p. 275-285, Jul./Dez. 2007. Disponível em: https://revistas.udea.edu.co/index.php/RIB/article/view/1881/1553 Acesso em: 07/05/2020.
MARCUSCHI, Beth. A escrita do gênero memórias literárias no espaço escolar: desafios e possibilidades. Cadernos Cenpec, São Paulo, v.2, n.1, p.47-73, Julho 2012.Disponivel em: http://cadernos.cenpec.org.br/cadernos/index.php/cadernos/article/viewFile/92/111. Acesso em 17/05/2020.
MARCUSCHI, Beth. Escrevendo na escola para a vida. In: RANGEL, Egon de Oliveira e ROJO, Roxane (Coord.). Língua Portuguesa: Coleção Explorando o Ensino: v. 19. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2010. p. 65-84.
RIBEIRO, João Ubaldo. Um brasileiro em Berlim. IN: Memórias de Livros. Rio de Janeiro: Objetiva, 2011, pp. 105-112.
ROJO, R. H. R. Pedagogia dos multiletramentos: diversidade cultural e de linguagens na escola. In: ROJO, R; MOURA, E. (orgs). Escola Conectada. São Paulo: Parábola Editorial, 2012.
SOARES, Magda. Novas práticas de leitura e escrita: letramento na cibercultura. Educação e Sociedade. Vol 23.p. 143-160, 2002.
VYGOTSKY, Lev S. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2001.
GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. - 4. ed. - São Paulo: Atlas, 2002.
Publicado
2020-12-15
Seção
Artigos