PERSPECTIVAS ATINGIDAS NO DECORRER DO PIBID: OLHAR CRÍTICO EM RELAÇÃO AOS ALUNOS E DA EXPERIÊNCIA PESSOAL

Palavras-chave: PIBID. Gêneros discursivos. Colaboração. Multiletramentos. Autonomia.

Resumo

O presente artigo relata as perspectivas alcançadas com o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), na Universidade Federal do Tocantins, campus de Porto Nacional e na Escola Estadual Dr. Pedro Ludovico Teixeira, no decorrer do segundo semestre de 2018 e durante o ano de 2019. Será exposta uma análise crítica em relação aos alunos que participaram das oficinas e um relato da experiência individual da pesquisadora visando pontos que ela considerou positivos ou negativos. Para tanto, lançamos mão de Pedagogia da Autonomia de Freire (2002), das concepções de Balzan (1969) acerca do Estudo do Meio, Von Zuben (1995)  em relação à realidade do ambiente escolar, Rojo (2013) sobre os multiletramentos, as sequências didáticas para o trabalho com gêneros discursivos propostas por Dolz, Noverraz e Schneuwly (2004) e Lev Vygotsky (1998) em sua concepção da interação no desenvolvimento do conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alice Rocha Santos, Universidade Federal do Tocantins

Acadêmica do curso de Licenciatura em Letras português pela Universidade Federal do Tocantins - UFT. Bolsista do Programa de Iniciação à Docência (PIBID) subnúcleo Letras-Linguagens. 

Adriana Capuchinho , Universidade Federal do Tocantins

Doutora em Estudos Linguísticos e Literários em Língua inglesa (DLM/USP), mestre em Antropologia Social (DA/USP). Graduada em Letras Inglês e Português e em Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH-USP). Docente do curso de Letras - Língua inglesa na UFT-CPN e do PPG Letras UFT-CPN. Coordenadora do PIBID Letras UFT-CPN 2018-2020. 

Referências

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 25ª. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002.
BALZAN, N.C. Estudo do meio. In: A.D. de Castro e outros. Didática da escola media: teoria e prática. 1ª. ed., São Paulo, Editora Edibell Ltda., 1969, p. 106.
DOLZ, Joaquim; NOVERRAZ, Michèlle; SCHNEUWLY, Bernard. Sequências Didáticas para o oral e para a escrita: apresentação de um procedimento. In: SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. Tradução e organização Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro. Campinas: Mercado de Letras,2004. p. 95–128.
ROJO, Roxane. Gêneros discursivos do Círculo de Bakhtin e multiletramentos. In: _____ (Org). Escol@ Conectada: os multiletramentos e as TICS. São Paulo: Parábola, 2013.
VON ZUBEN, Newton. Sala de aula: da angústia de labirinto à fundação da liberdade. 8ª. ed., São Paulo: Editora Papirus, 1995, p. 124-127.
VYGOTSKY, Lev Semenovich. A Formação Social da Mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 6. ed. brasileira São Paulo: Martins Fontes, 1998.
Publicado
2020-12-15
Seção
Artigos