O PAPEL DO PROFESSOR UNIVERSITÁRIO EXTENSIONISTA NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE ESCOLAS INDÍGENAS NO QUEBEQUE: ENTREVISTA COM CORINA BORRI-ANADON (UQTR)

  • Gustavo Bruno Gonçalves UFSB
Palavras-chave: Educação Indígena. Quebeque. Universidade Pública. Interculturalidade.

Resumo

Desde 2014, a professora Corina Borri-Anadon (Universidade do Quebeque em Trois Rivières, UQTR) desenvolve, junto com sua colega de departamento Sylvie Ouellet e em parceria com o Centre d’Éducation des Premières Nations (Centro de educação das primeiras nações - CEPN), um curso de formação de professores que trabalham em escolas indígenas. Entre julho e outubro de 2019 ela foi professora visitante em quatro universidade públicas brasileiras. Esta entrevista objetiva apresentar uma reflexão sobre a extensão universitária a partir destas experiências. Primeiramente é apresentado o olhar da pesquisadora visitante sobre as atividades de extensão das quais ela participou. Disto segue um diálogo sobre possíveis paralelos entre as abordagens de services à la collectivité no Québec e a extensão universitária no Brasil. O relato de uma experiência na área de formação de professores de escolas indígenas permite abordar as tensões que caracterizam as práticas de extensão no contexto de uma universidade situada em território indígena reivindicado. Por fim, é feita uma análise crítica sobre como a extensão universitária vem sendo realizada em um contexto crescentemente marcado por uma lógica gerencialista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo Bruno Gonçalves, UFSB

Doutor em políticas públicas e formação Humana pela Universidade Federal do Sul da Bahia.

Publicado
2019-12-13