QUALIDADE DE MUDAS DE BATATA-DOCE OBTIDAS EM DIFERENTES RECIPIENTES

  • Maiko Emiliano Souza Universidade Federal do Tocantins
  • Aline Torquato Tavares Universidade Federal do Tocantins
  • Rodrigo Robson Cavalcante Universidade Federal do Tocantins
  • João Neto Matos Universidade Federal do Tocantins
  • Valéria Gomes Momenté Universidade Federal do Tocantins
  • Ildon Rodrigues Nascimento Universidade Federal do Tocantins

Resumo

O plantio da batata-doce ocorre por meio do uso de material vegetativo e a produção de mini ramas é uma alternativa de aumento na produtividade. Objetivou-se com esse trabalho avaliar a qualidade de mudas de batata-doce obtidas em diferentes tipos de recipientes. O experimento foi realizado em ambiente protegido, em delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial 5 x 3, sendo cinco genótipos de batata-doce (Duda, Princesa, BDFMI#04, BDFMI#16 e BDFMI#106) e três tipos de recipientes (bandejas de poliestireno com 128 células de 40 cm³ cada; copos descartáveis de 200 cm³ de capacidade e tubetes com capacidade de 115 cm³), com quatro repetições. Foram avaliadas as seguintes características nas mudas de batata-doce: número de folhas, massa seca das folhas, massa seca da parte aérea, massa seca das raízes, relação entre a massa seca da parte aérea com a massa seca das raízes e índice de qualidade de Dickson. O recipiente copo descartável, sendo o de maior volume, favoreceu uma melhor expressão dos resultados dos genótipos para a maioria das características analisadas. À medida que o volume do recipiente foi aumentando, os genótipos conseguiram apresentar resultados mais satisfatórios em relação à produção de mudas.

Publicado
2019-02-07
Seção
Artigo científico

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##