PRODUTIVIDADE DE CULTIVARES DE MANDIOCA SOB DÉFICIT HÍDRICO

  • Fabio Santos Matos Universidade Estadual de Goias
  • Ricardo Felicio Universidade Estadual de Goias
  • Leandro Mariano da Silva Universidade Estadual de Goias
  • Alainy Carla de Souza Nascente Universidade Estadual de Goias
  • José Paulo Carneiro Custódio Universidade Estadual de Goias
  • Roberli Ribeiro Guimarães Universidade Estadual de Goias
  • Priscilla Gomes de Freitas Santos Universidade Estadual de Goias
  • Patrícia Souza da Silveira Universidade Estadual de Goias

Abstract

O presente estudo teve como objetivo avaliar o crescimento e a produtividade de cultivares de mandioca sob déficit hídrico. O experimento foi conduzido no campo experimental da Universidade Estadual de Goiás, Câmpus Ipameri. A área experimental possui Latossolo vermelho-amarelo. O experimento foi montado seguindo o delineamento em blocos casualizados, em arranjo fatorial 4x2, utilizando quatro cultivares de mandioca (BRS 396, BRS 397, BRS 398, BRS 399) desenvolvidos pela Embrapa Cerrados e dois suprimentos hídricos: plantas sob déficit hídrico e plantas diariamente irrigadas com volume de água correspondente a evapotranspiração diária, cinco repetições e parcela experimental de quatro plantas úteis. O plantio foi realizado adotando-se o espaçamento de 1 m entre linhas e 1 m entre plantas. As variáveis de crescimento e fisiológicas: altura de planta, diâmetro do caule, teor relativo de água e pigmentos fotossintéticos foram analisadas aos oito meses de idade e a produtividade mensurada aos dez meses após o plantio. Os resultados demonstram às diferenças entre os materiais com formação de dois grupos distintos: grupo I formado por BRS 399 e BRS 398 com maiores produtividades e grupo II com BRS 396 e BRS 397. Todas as cultivares apresentaram reduções na produtividade sob déficit hídrico, mas com ausência de diferença estatística entre materiais. As cultivares apresentaram-se semelhantes quanto ao crescimento vegetativo e concentração foliar de pigmentos fotossintéticos, principalmente sob irrigação diária. O curto tempo do plantio à colheita (nove meses) não foi suficiente para diferenciar as cultivares quanto ao crescimento vegetativo e concentração foliar de clorofilas. As cultivares de Manihot esculenta não diferem em crescimento e produtividade sob déficit hídrico e apresentam como estratégia de tolerância a seca o retardo da desidratação. As cultivares BRS 398 e BRS 399 apresentam-se mais produtivas em relação a BRS 396 e BRS 397 sob suprimento hídrico adequado.

Author Biographies

Fabio Santos Matos, Universidade Estadual de Goias
Departamento de Ciências agrárias
Ricardo Felicio, Universidade Estadual de Goias
Departamento de Ciências agrárias
Leandro Mariano da Silva, Universidade Estadual de Goias
Departamento de Ciências agrárias
Alainy Carla de Souza Nascente, Universidade Estadual de Goias
Departamento de Ciências agrárias
José Paulo Carneiro Custódio, Universidade Estadual de Goias
Departamento de Ciências agrárias
Roberli Ribeiro Guimarães, Universidade Estadual de Goias
Departamento de Ciências agrárias
Priscilla Gomes de Freitas Santos, Universidade Estadual de Goias
Departamento de Ciências agrárias
Patrícia Souza da Silveira, Universidade Estadual de Goias
Departamento de Ciências agrárias

References

DE TARSO AIDAR, S., MORGANTE, C. V., DE MELO CHAVES, A. R., NETO, B. P. C., VITOR, A. B., MARTINS, D. R. P. S.; & OLIVEIRA, E. J. Características fisiológicas, produção total de raízes e de parte aérea em acessos de Manihot esculenta em condições de déficit hídrico. Revista Brasileira de Geografia Física, v. 8, p. 685-696, 2015.

EMBRAPA SOLOS. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. Brasília-DF, 2013, 3 ed. 353p.

EMBRAPA CERRADOS - Mandioca no Cerrado : orientações técnicas / editores técnicos, Josefino de Freitas Fialho, Eduardo Alano Vieira. – Planaltina, DF, 2011.

EMBRAPA CERRADOS - Portal Embrapa (Versão 2.42.5). Disponível em: <https://www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/6252350/embrapa-lanca-cultivares-de-mandioca-de-mesa.>. Acesso em: 29 de jun. 2016.

FAOSTAT - Food and Agriculture Organization of the United Nations. Production, crops. Disponível em:http://faostat.fao.org/site/339/ default.aspx.Acesso: 16 de janeiro de 2015.

MATOS, F.S. ; TORRES JUNIOR, H. D. ; ROSA, V. R. ; SANTOS, P. G. F. ; BORGES, L. F. O. ; RIBEIRO, R. P. ; NEVES, T. G. ; CRUVINEL, C. K. L. Estratégia morfofisiológica de tolerância ao déficit hídrico de mudas de pinhão manso. Magistra, v. 26, p. 19-27, 2014.

MATOS, F.S.; PAULA OLIVEIRA, R.C.; GIL, J.L.R.A.; SOUSA, P.V.; GONÇALVES, G.A.; SOUSA, M.P.B.L.; SILVEIRA, P.S.; SILVA, L.M. Eucalyptus urocan drought tolerance mechanisms. African Journal of Agricultural Research, v. 11, n. 18,p. 1617-1622, 2016.

OKOGBENIN, E., SETTER, T. L., FERGUSON, M., MUTEGI, R., CEBALLOS, H., OLASANMI, B., & FREGENE, M. Phenotypic approaches to drought in Manihot esculenta . Frontiers in Physiology, v. 4, p. 93, 2013.

R CORE TEAM, R: A language and environment for statistical computing, R Foundation for Statistical Computing, Vienna, Austria, Disponível em: <http://www,R-project,org/>. Acesso em: 19 ago. 2015.

ROCHA, H. S. et al. Recomendações técnicas para a produção de manivas-semente de mandioca a partir de mudas micropropagadas. O papel do" maniveiro"-Projeto RENIVA. Embrapa Mandioca e Fruticultura-Folderes/Folhetos/Cartilhas (INFOTECA-E), 2015.

SEAB/DERAL- SEAB – Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento e DERAL - Departamento de Economia Rural. Mandiocultura - Análise da Conjuntura Agropecuária. Informativo Técnico. Paraná, 2013.

SMITH, M. Report on the expert consultation on revision of FAO methodologies for crop water requiremebts. Rome FAO. 45p. 1991.

SILVA D.V.; SANTOS J.B.; CARVALHO F.P.; FERREIRA E.A.; FRANÇA A.C.; FERNANDES J.S.C.; GANDINI E.M.M.; CUNHA V. C. Seletividade de herbicidas pós-emergentes na cultura da mandioca. Planta Daninha, v. 30, p. 835-841, 2012.

VERISSIMO, V.; SILVA, S.J.S.; PEREIRA, L.F.M.; DA SILVA, P.B.; TEIXEIRA, J. D.; FERREIRA, V. M,; ENDRES, L. Pigmentos e eficiência fotossíntética de quatro variedades de mandioca. Revista Raízes e Amidos Tropicais, v.6, p.222-231, 2010.

VIEIRA, L. J.; TAVARES FILHO L. F. Q.; SOUZA F. V. D.; ALVES A. C. C.; OLIVEIRA E. J.; CROPS & SOILS RESEARCH PAPER Development of interspecific hybrids of Manihot esculenta and paternity analysis with molecular markers. Journal of Agricultural Science, v.151, p. 849–861, 2013.

TAIZ, L.; ZEIGER, E. Fisiologia vegetal. 5.ed. Porto Alegre: Artmed, 2013. 918p.

WELLBURN, A.R. The spectral determination of chlorophylls a and b, as well as total carotenoids, using various solvents with spectrophotometers of different resolution. Journal of Plant Physiology, v.144, n. 3, p.307-313, 1994.

Published
2016-12-20
How to Cite
Matos, F. S., Felicio, R., da Silva, L. M., Nascente, A. C. de S., Custódio, J. P. C., Guimarães, R. R., Santos, P. G. de F., & da Silveira, P. S. (2016). PRODUTIVIDADE DE CULTIVARES DE MANDIOCA SOB DÉFICIT HÍDRICO. AGRI-ENVIRONMENTAL SCIENCES, 2(1), 15-24. Retrieved from https://revista.unitins.br/index.php/agri-environmental-sciences/article/view/186
Section
Artigo científico