UTILIZAÇÃO DE REVESTIMENTOS ALTERNATIVOS NA CONSERVAÇÃO PÓS-COLHEITA DE MAMÃO ‘SUNRISE SOLO’

  • WILL KENNED FONTINELE CONCEIÇÃO BARROS
  • Fredson Leal de Castro Carvalho UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS (UFT)
  • LINDOMAR BRAZ BARBOSA JÚNIOR INSTITUTO FEDERAL GOIANO (IF Goiano)
  • RAYANE REIS DE SOUSA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO (UEMA - CAMPUS BALSAS)
  • FERNANDO HENRIQUE CARDOSO VERAS
  • PEDRO HENRIQUE DA SILVA SOUSA
  • ROBERTA FREITAS DE SOUZA LOBO INSTITUTO FEDERAL DO TOCANTINS (IFTO - CAMPUS ARAGUATINS)
Palavras-chave: Biofilmes, Carica papaya L., cera de carnaúba, fécula de mandioca.

Resumo

A cultura do mamão apresenta expressiva participação na produção da fruticultura nacional. Porém, ainda apresenta alta taxa de perda pós-colheita. Em busca de fontes alternativas para a conservação de frutas, o presente trabalho tem por objetivo avaliar o efeito da aplicação de revestimentos alternativos de origem vegetal na conservação pós-colheita de frutos de mamão papaia cultivar Sunrise Solo. O experimento foi conduzido em delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial 4 x 4 (quatro tratamentos x quatro períodos avaliados), com quatro repetições, onde cada repetição corresponde a um fruto de mamão, totalizando 64 frutos (64 parcelas). Os tratamentos foram distribuídos de forma aleatória: T1: Testemunha (sem uso de revestimento); T2: Óleo purificado de coco babaçu na concentração de 3%; T3: Fécula de mandioca na concentração de 5%; T4: Cera de carnaúba Aruá BR Tropical 18%. Foram selecionados frutos no estádio pré-climatérico. Estes foram imersos durante um minuto em seus respectivos tratamentos e acondicionados em recipientes descartáveis. Após, foram armazenados à temperatura média de 28,6 ºC ± 3 ºC e umidade relativa média de 54,5%. Foram avaliadas as variáveis: coloração da casca, perda de massa fresca, pH e sólidos solúveis totais. O uso de revestimentos alternativos em frutos de mamão retarda a mudança de coloração ao decorrer das avaliações em comparação ao tratamento sem aplicação (controle), destacando-se o tratamento com aplicação de fécula de mandioca (5%). Os frutos revestidos com cera de carnaúba (18%) apresentam os menores valores na perda de massa em todas as épocas de avaliações, diferindo significativamente dos demais tratamentos. Os tratamentos com cobertura não influenciam significativamente no valor do pH e nos sólidos solúveis totais dos frutos de mamão durante todas as épocas de avaliação.

Biografia do Autor

WILL KENNED FONTINELE CONCEIÇÃO BARROS

BACHAREL EM AGRONOMIA PELO INSTITUTO FEDERAL DO TOCANTINS (IFTO - CAMPUS ARAGUATINS)

Fredson Leal de Castro Carvalho, UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS (UFT)

BACHAREL EM AGRONOMIA PELO INSTITUTO FEDERAL DO TOCANTINS (IFTO)

MESTRANDO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGROENERGIA PELA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS (UFT - CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE PALMAS)

BOLSISTA PELA CORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR (CAPES)

LINDOMAR BRAZ BARBOSA JÚNIOR, INSTITUTO FEDERAL GOIANO (IF Goiano)

BACHAREL EM AGRONOMIA PELO INSTITUTO FEDERAL DO TOCANTINS (IFTO - CAMPUS ARAGUATINS)

MESTRANDO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROTEÇÃO DE PLANTA PELO INSTITUTO FEDERAL GOIANO (IF GOIANO - CAMPUS URUTAÍ)

RAYANE REIS DE SOUSA, UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO (UEMA - CAMPUS BALSAS)

BACHAREL EM AGRONOMIA PELO INSTITUTO FEDERAL DO TOCANTINS (IFTO)

MESTRANDA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRICULTURA E AMBIENTE (UEMA - CAMPUS BALSAS)

FERNANDO HENRIQUE CARDOSO VERAS

BACHAREL EM AGRONOMIA PELO INSTITUTO FEDERAL DO TOCANTINS (IFTO)

PEDRO HENRIQUE DA SILVA SOUSA

BACHAREL EM AGRONOMIA PELO INSTITUTO FEDERAL DO TOCANTINS (IFTO)

ROBERTA FREITAS DE SOUZA LOBO, INSTITUTO FEDERAL DO TOCANTINS (IFTO - CAMPUS ARAGUATINS)

Engenhara Agronôma pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Mestrado e Doutorado em Agronomia pela Universidade Federal de Goiás (UFG)

Professora efetiva no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins (IFTO - Campus Araguatins).

Publicado
2019-11-06